A NOVA CRIAÇÃO | Paulus Editora

O Domingo
A NOVA CRIAÇÃO

Indicar a um amigo:





O Evangelho de hoje começa com a expressão “era o primeiro dia da semana”. Isso quer dizer que, com a ressurreição de Jesus, se inicia um novo tempo. Nele tudo se torna novo: “Se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram,
eis que tudo se fez novo” (2Cor 5,17).

O fato de Maria Madalena ir ao túmulo bem de manhãzinha, quando “ainda era escuro”, significa que, mesmo diante do despontar de nova aurora, a comunidade ainda não tinha experimentado o mistério da ressurreição do Senhor. Está confusa e perdida. Por vezes, nós também nos perdemos com as exterioridades. Envoltos em tantos problemas do cotidiano, enxergamos tão somente os aspectos negativos dos acontecimentos.

A exemplo de Maria Madalena, também temos de caminhar quando o sol ainda nem nasceu. Ela enfrenta a noite, não se deixa paralisar pela atmosfera do medo. O testemunho dessa mulher corajosa nos motiva a caminhar na alegria e na esperança do despontar do novo dia.

A aurora dá sinal de que o sol vai nascer. Jesus é o sol de nossa vida. Ele está vivo e em nosso meio. Nenhuma escuridão vai nos amedrontar. E quando nossos olhos não enxergarem o profundo, o colírio da fé nos ajudará a tirar a cegueira.

Embora a história presente ainda esteja marcada com os sinais da morte, em Jesus de Nazaré os sinais de vida se evidenciam. Ele é a vida em plenitude. E não se trata apenas de discursos, palavras e projetos mirabolantes. Na verdade, ele, como pessoa, enfrentou as dores da cruz e “desceu à mansão dos mortos”. Porém, fiel à vontade de Deus, não se entregou aos esquemas do mundo.

A morte ainda estampada na manchete do jornal não tem triunfo coisa alguma. A vida, sim, é soberana e nos pede coragem a todo momento. Evidentemente, não se trata de fingir que no mundo não há problemas. A ressurreição, porém, indica-nos que a vida é maior do que todos os problemas. É maior do que a morte. No Ressuscitado, somos todos recriados. O sepulcro está vazio, Jesus ressuscitou!

Pe. Antonio Iraildo Alves de Brito, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar