O Domingo – Palavra
MUDANÇA DE MENTALIDADE

Indicar a um amigo:





Jesus nos ensina que, para conhecer e viver a vontade de Deus, é necessária mudança de mentalidade. Não basta só boa vontade para segui-lo. Não basta apenas fazer pose de “sou cristão”. O que Jesus espera de nós é coragem; e coragem é uma ação do coração. Os antigos acreditavam que a coragem se alocava nesse órgão. Aliás, as duas palavras compartilham o mesmo radical (cor). Com base nisso, podemos dizer que a coragem emana do mais profundo do nosso ser. Trata-se de algo intenso.

Os seguidores e seguidoras de Jesus são, portanto, pessoas intensas. Não deveriam se conformar à mentalidade mundana, que se pauta na superficialidade, no desejo de sucesso fácil e – o pior – na busca de se dar bem à custa dos outros.

Para seguir na estrada de Jesus, exige-se coragem para mudar. Isso não foi fácil para os primeiros discípulos. Não é fácil também para nós. Jesus não nos chamou para um caminho
cômodo. O caminho de Jesus é estreito e exige de nós empenho constante.

Pedro, no Evangelho de hoje (Mt 16,21-27), pensa com a mentalidade do mundo. É a mentalidade do amor ao poder, e não do poder do amor. O amor ao poder é satânico, foge da cruz. Por isso divide, exclui e até mata. Não por acaso, Jesus repreende o apóstolo com força. O poder do amor, ao contrário, congrega, gera vida, anima e salva. É o amor que vale a pena.

O estilo de vida da comunidade cristã, por conseguinte, exige escolhas. E, para escolher, é preciso discernimento. Discernir quer dizer capacidade de pensar, não somente no sentido racional, mas com o corpo todo. Isso quem nos atesta é o apóstolo Paulo, quando exorta a comunidade a ser oferta viva, isto é, amar sem medida. Para sentir e viver o amor, é necessário contemplar a mensagem da cruz, o grande mistério do amor de Deus derramado em nosso coração.

A mudança de mentalidade, assim, tem que ver com a capacidade de se desfazer dos esquemas do ódio, das ideias fixas, do pensamento orgulhoso e prepotente. É a metanoia, isto é, a transformação integral, de comportamento, de caráter. É a profundidade espiritual. Trata-se de uma virada total, para assumir novo estilo de vida. Aqui não cabe fingimento. Cabe muita coragem para assumir um estilo de vida autêntico, conforme Jesus ensinou e viveu.

Pe. Antonio Iraildo Alves de Brito, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar