OD Palavra | Paulus Editora

O Domingo – Palavra
A SAGRADA FAMÍLIA DE NAZARÉ E NOSSAS FAMÍLIAS

Indicar a um amigo:





A Sagrada Família – Jesus, Maria e José –, como toda família humana, teve de enfrentar desafios. Eram pessoas de Deus e se empenhavam em manter boa convivência, respeito mútuo e disposição para fazer a vontade do Senhor. Entretanto, não viviam isolados do convívio social; ao contrário, conversavam com os vizinhos, trabalhavam, participavam da liturgia na sinagoga, iam ao templo para as grandes festas religiosas. Cada membro agia conforme suas características pessoais e a consciência da própria missão neste mundo.

Jesus, o Filho de Deus que se fez humano, veio cumprir a missão que o Pai lhe confiara: “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho único… para que o mundo seja salvo por meio dele” (Jo 3,16-17). Maria, escolhida para ser a mãe do Salvador, sabia que o fruto do seu ventre era o “Filho do Altíssimo” (Lc 1,32). Diante do mistério da encarnação, ela silenciava e “guardava todas essas coisas, meditando-as em seu coração” (Lc 2,19). Quanto a José, estava a serviço de uma sublime e exigente missão. De fato, o anjo do Senhor lhe havia dito: “Não tenha medo de receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado vem do Espírito Santo” (Mt 1,20).

A Sagrada Família realizava fielmente os planos de Deus. Contudo, não lhe faltaram contratempos: lembremos as circunstâncias do nascimento de Jesus; as ameaças do prepotente Herodes; a fuga para o estrangeiro, às pressas e na total pobreza; o episódio em que, aos 12 anos, o menino Jesus permaneceu no templo, dialogando com os doutores da Lei – comportamento que afligiu a alma dos pais.

Esse rápido panorama sobre a vida da Sagrada Família pode sugerir atitudes e mudanças para nossas famílias. Citemos duas: em tudo o que fizermos, convém bater à porta do coração do Pai celeste e lhe pedir conselhos. Qual caminho seguir? Ou seja, vivamos em comunhão com Deus. Além disso, procuremos exercitar-nos cada dia para bem conviver, amar e respeitar o próximo, salientar o lado bom das pessoas, reservar tempo para escutar o que os outros precisam expressar e cultivar sincera amizade entre todos. Essas são certamente “ferramentas” preciosas, capazes de ajudar nossas famílias a reproduzir o estilo de vida da Sagrada Família.

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar