15 de maio – 5º DOMINGO DA PÁSCOA | Paulus Editora

O Domingo – Palavra
15 de maio – 5º DOMINGO DA PÁSCOA

Indicar a um amigo:





AMAI-VOS UNS AOS OUTROS

Pertencer a um grupo é algo que envolve e implica todo o ser da pessoa que deseja dar esse passo. Os ritos de iniciação acontecem quando o indivíduo é capaz de compreender as características do grupo do qual passará a fazer parte com plenos direitos, as quais deverão se tornar também suas. É assim também com as famílias religiosas: para que um/a jovem possa professar os votos em determinada congregação, é necessário longo tempo de formação, para que possa perceber se se identifica com o modo de ser e de agir daquele grupo.

Com os seguidores de Jesus não é diferente. Há uma característica que nos define e deveria ser um sinal inconfundível para todos os que se encontram conosco: o amor fraterno. Amor que vai muito além de qualquer sentimentalismo ou superficialidade e encontra sua plena realização no contato com o outro, especialmente com os mais necessitados.

Diferentemente do que muitos pensam, o contrário do amor não é o ódio, mas a indiferença. Esta é palavra que os seguidores de Jesus deveriam conhecer somente por meio do dicionário. De fato, é uma contradição imaginar um cristão indiferente; alguém que, apesar de seguir aquele que foi crucificado por amor, se mostra incapaz de sentir a dor do próximo.

O que nos define, em primeiro lugar, não é nosso conjunto de doutrinas ou as regras que pautam nosso comportamento, mas o amor que expressamos em nossas ações e palavras. Não é necessário, certamente, forçar muito a mente para encontrarmos exemplos de pessoas que não conhecem muito da doutrina ou da moral cristã e são verdadeiras testemunhas do amor cristão. O contrário também é verdadeiro.

As palavras de Jesus no Evangelho que ouvimos hoje são palavras de despedida, e todos sabemos que, quando devemos nos despedir de alguém, as últimas palavras são sempre as mais significativas e carregadas de emoção. Por isso Jesus fala do amor ao próximo nos últimos momentos seus com os discípulos. Aqui está em causa toda a coerência e a verdade do cristianismo. Se, em nossas comunidades, não conseguimos nos relacionar amorosamente e não somos testemunhas do amor cristão – o mesmo vivido e ensinado por Cristo – para aqueles que estão fora, então não podemos nos apresentar como cristãos. Afinal, a qual grupo pertencemos?

Manoel Gomes, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar