O Domingo – Palavra
VESTE APROPRIADA PARA A FESTA

Indicar a um amigo:





A parábola da festa de casamento do filho do rei é um retrato da história da salvação. Jesus está se dirigindo ao povo e a suas autoridades máximas. A linguagem figurada é conhecida dos seus ouvintes: o rei representa Deus; o banquete nupcial indica a relação de aliança de Deus com o povo de Israel; os empregados são os profetas que, ao longo dos séculos, Deus foi enviando para manifestar sua vontade e corrigir os erros e excessos da sociedade e de seus chefes; o filho do rei é Jesus, o noivo da comunidade, que está presente com seus discípulos. Os convidados são os que pertencem ao povo escolhido; eles conheciam a história sagrada, a história de Deus que caminha com seu povo e, com toda dedicação, o prepara para a vinda do seu Filho.

Deus, então, conduz a história para um desfecho feliz, a encarnação de Jesus. Mas a resposta aos frequentes apelos divinos foi uma desilusão. Deixaram de aceitar o convite, por indiferença e porque preferiram cuidar de seus projetos pessoais. Por parte de Deus houve repetidos chamados. Por parte do povo, frequentes recusas. Até mesmo violência. O Evangelho de João traz um resumo dessa situação, comentando a respeito da Palavra (Jesus), que veio habitar entre nós: “Ela veio para os que eram seus, mas os seus não a receberam” (Jo 1,11). O final da parábola fala da exclusão dos que “não quiseram ir” e da inclusão dos marginalizados. Como na parábola anterior: “Eu lhes garanto: os cobradores de impostos e as prostitutas vão entrar no Reino de Deus antes de vocês” (Mt 21,31).

A festa, que parecia transcorrer tranquilamente, reserva uma surpresa. A turma ajuntada de última hora é surpreendida pela presença do rei (Deus), que afasta do banquete uma pessoa que não tinha a veste própria do casamento. Que veste é essa? É o “documento de identidade”. Qual é a identidade do cristão? É a prática da justiça, mas aquela que supera a dos doutores da Lei e dos fariseus. Então, não basta pertencer fisicamente ao Reino de Deus, é necessário apresentar frutos de justiça, de amor e misericórdia, valores que marcaram a vida de Jesus e constituem nossa identificação cristã.

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar