OS SINAIS DO RESSUSCITADO | Paulus Editora

O Domingo – Palavra
OS SINAIS DO RESSUSCITADO

Indicar a um amigo:





Neste domingo, a Palavra de Deus nos convida a depositar no Ressuscitado nossa confiança e esperança. João nos apresenta o relato sobre as primeiras testemunhas da ressurreição. O texto começa com uma indicação cronológica: “No primeiro dia da semana”. Trata-se do primeiro dia do novo tempo, inaugurado e vivificado por Jesus.

No entanto, esse tempo novo ainda não chegou para os discípulos, que demonstram ter dificuldade de compreender o evento da ressurreição. Estão perdidos, desorientados, inseguros, porque ainda não descobriram que a morte foi derrotada. Isso ocorre com Maria Madalena, que, na manhã do primeiro dia da semana, ainda de madrugada, vai ao túmulo procurar Jesus e, percebendo o sepulcro vazio, não toma consciência da ressurreição do Senhor, mas pensa no roubo do cadáver (v. 2).

O sepulcro vazio é sinal de que a vida venceu a morte. Maria Madalena representa a comunidade sem o dinamismo da fé e incapaz de compreender a morte de Jesus. Ela representa todos aqueles que acreditam que o túmulo seja o lugar do fracasso e da derrota. Seu gesto de ir ao túmulo sintetiza as buscas da comunidade que anseia por vida nova, mas tem seus anseios sufocados pela dúvida e ainda caminha na escuridão.

O primeiro dia da semana também é de espanto para os demais discípulos, que, a exemplo de Madalena, ainda não tinham despertado para o raiar de um novo dia. Depois de receberem a notícia de que haviam tirado o corpo do túmulo, vão correndo em direção ao sepulcro. O discípulo amado chega primeiro. Ele percebe que há sinais de vida, porém não alcança de imediato a plena compreen­são do que aconteceu.

Por último, chega Pedro, que entra no túmulo, vê que não se trata de roubo – pois ladrões não se preocupariam em dobrar o sudário –, mas ainda assim não compreende. O discípulo amado, por sua vez, vê e acredita, porque quem ama enxerga mais longe, não precisa de provas. Pedro precisará assimilar a experiência do túmulo vazio para realizar verdadeira tomada de consciência dos sinais do Ressuscitado na sua vida. Nesse processo, está presente a Sagrada Escritura (v. 9). Somente compreendendo a Palavra de Deus é que podemos chegar ao verdadeiro crer, sem a necessidade de ver. Que tenhamos sempre a prontidão, o amor e a fé do discípulo amado para discernir os sinais do Ressuscitado em nossa vida. Feliz Páscoa!

Pe. Roni Hernandes, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar