“ONDE VAMOS COMPRAR PÃO PARA QUE ELES POSSAM COMER?” | Paulus Editora

O Domingo – Palavra
“ONDE VAMOS COMPRAR PÃO PARA QUE ELES POSSAM COMER?”

Indicar a um amigo:





O cenário do milagre da multiplicação dos pães é imenso. Jesus cruza o mar da Galileia e, do outro lado, levanta os olhos e vê grande multidão vindo ao seu encontro (v. 5). Portanto, há amplo espaço onde esse povo pode se reunir (v. 2). A sequência dos acontecimentos aponta Jesus como aquele que sacia a fome dos homens e mulheres que o seguem, alimentando mais de 5 mil pessoas. Tudo nos leva a pensar em abundância. Não se trata de qualquer abundância, mas da abundância da Providência de Deus.

Jesus ergueu o olhar. Hoje, ele nos pede que também levantemos os olhos para ver. “Levantar os olhos e ver” significa prestar atenção no que acontece ao nosso redor, preocupar-nos em enxergar a realidade que nos cerca e não lhe ficarmos indiferentes. Como é nossa realidade, à qual nosso olhar pode se levantar? De acordo com a pesquisa mais recente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em sua Síntese dos Indicadores Sociais (SIS), publicada em novembro de 2020, a extrema pobreza alcança 6,5% da população brasileira. Ou seja, 13,7 milhões de brasileiros vivem com menos de 151 reais por mês. Diante de tal situação, Jesus pede que levantemos os olhos e façamos a seguinte pergunta: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?”

Vivemos numa sociedade acostumada a privilegiar o possuir. As pessoas pensam que há pouco para ser partilhado. Creem não valer a pena partilhar o pouco que se tem. Jesus nos ensina, porém, que o milagre se inicia na escassez. Queremos ver o milagre acontecer? Comecemos a partilhar o pouco que temos com quem tem ainda menos – ajudando a despertar, na consciência dos que têm, o chamado para a fraternidade. O gesto de Jesus é a grande catequese sobre o projeto de Deus, que é vida para todos. O ensinamento dele não recomenda acumular para depois distribuir; antes, propõe partilhar o que cada um tem, para que todos fiquem saciados.

Se a humanidade decidisse efetivamente  partilhar, todos teriam o necessário para viver com dignidade, e até sobraria. No episódio da multiplicação dos pães, não apenas houve fartura para saciar a todos, mas sobraram ainda 12 cestos (v. 13). O evangelista João nos convida a perceber que Jesus não se preocupou primeiramente com o que iria dizer às pessoas famintas, mas, antes de tudo, preocupou-se com a fome daquele povo. Esta foi a primeira preocupação de Jesus diante do povo faminto: assegurar dignidade, para, depois, ir além. E a nossa, qual é?

Christian Dino Batsi, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar