RESGATAR AS OVELHAS PERDIDAS | Paulus Editora

O Domingo – Palavra
RESGATAR AS OVELHAS PERDIDAS

Indicar a um amigo:





Após a avaliação da viagem missionária que empreenderam, os apóstolos são convidados a se retirarem para merecido descanso. Eram tantos os que procuravam Jesus e seus discípulos, que estes, diz o evangelho, não tinham tempo nem sequer para comer. Ao se deslocarem para um lugar deserto, foram precedidos pela multidão. Por ser uma personagem pública e conhecida, Jesus, acompanhado de seu grupo, é buscado com frequência.

Todos, também os discípulos-missionários de Jesus, temos necessidade do descanso. A vida moderna, com sua agitação, nem sempre proporciona momentos de pausa e de lazer. Ao terminar a obra da criação, o próprio Deus descansou. Trata-se, portanto, de um direito de todo ser humano. Todavia, em meio à cultura do descarte, na qual nos encontramos, não podemos esquecer também os milhões de desempregados. O descanso pressupõe o direito ao trabalho, que dignifica as pessoas.

Vendo a multidão, Jesus teve compaixão, isto é, comoveu-se interiormente – como faz uma mãe que vê o sofrimento dos filhos –, pois eram como “ovelhas sem pastor”. Ter compaixão é sentir e encarnar em si a dor do outro; compadecendo-se, Jesus sente-se um deles. Ao ensinar muitas coisas, assume o papel de pastor para o povo desnorteado e abandonado, necessitado de esperança.

O olhar do Mestre descobre as necessidades das pessoas. Ele mesmo assume o pastoreio delas, conduzindo-as e defendendo-as. E nos convida a não ficar indiferentes a tantas necessidades que o povo sofre. A responsabilidade pelos que carecem de atendimento às necessidades básicas é de toda a sociedade, mas principalmente dos dirigentes das nações. Estes têm a obrigação de proporcionar digna condição humana ao povo “sem eira nem beira” – carente de saúde, alimentação, moradia, educação, trabalho… É o evangelho que o exige!

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar