OS PRIMEIROS NO REINO | Paulus Editora

O Domingo
OS PRIMEIROS NO REINO

Indicar a um amigo:





Enquanto Jesus percorre cidades e vilas, vai instruindo seus seguidores com a prática e com palavras. Nesse caminhar, anuncia seu fim trágico em Jerusalém, mas sublinha que não devem se assustar, pois, depois de morto, ressuscitará. Enquanto o Mestre anuncia o que lhe virá pela frente, como consequência de suas palavras e atos, os discípulos preocupam-se em disputar a primazia no que supõem ser o Reino que ele vai estabelecer.

Estando em casa, ciente das disputas dos discípulos pelos primeiros lugares, Jesus ministra-lhes uma catequese a respeito do sentido da autoridade e do poder. As pessoas, em geral, ambicionam o primeiro lugar em tudo. Querem sobressair aos outros, formando como que uma hierarquia cujo objetivo é situar-se no topo.

Jesus desmonta essa ambição, presente também entre seus seguidores, colocando no centro o pequenino, o simples e o pobre. Estes são os primeiros no Reino por ele proposto. Se alguém deseja ser importante e o primeiro, precisa se pôr a serviço de todos. O cristão é chamado a se destacar pela solidariedade e compromisso com os pequeninos.

Uma criança, pessoa desprovida de ambição e poder, é apresentada como protótipo do Reino. A ambição e a vaidade desviam os corações daquilo que é o mais importante: o amor e a doação. Jesus abraça os “pequeninos”, e não os “poderosos”. A preocupação dele não se volta para os que ocupam os primeiros lugares e os “famosos”.

Famosos, para Jesus, são aqueles que se doam, livremente e sem pretensões, em favor do seu projeto; são os trabalhadores honestos que levam o sustento às suas famílias com o suor do dia a dia; são as mães heroicas que, com dificuldade, multiplicam o pão na mesa e educam os filhos para uma vida honesta; são os profissionais da saúde que arriscam a própria vida para salvar a dos outros.

Diante de uma sociedade que estimula o carreirismo e a fama, somos convidados a trabalhar pelo Reino sem ambicionar status. Não é fácil abraçar o projeto de Jesus; é mais fácil abraçar a autopromoção e o desejo de sermos os primeiros, sem nos importarmos com os outros.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar