12 de junho – SOLENIDADE DA SANTÍSSIMA TRINDADE | Paulus Editora

O Domingo
12 de junho – SOLENIDADE DA SANTÍSSIMA TRINDADE

Indicar a um amigo:





O MISTÉRIO DE DEUS

O mistério de Deus é insondável. Estamos, pois, diante do limite para falar de algo sobre o qual, na verdade, deveríamos calar. Trata-se, por assim dizer, daquilo que ao ser humano é impossível medir, porque supera o nível da racionalidade. Contudo, não obstante esse limite humano, temos a capacidade, dada pelo próprio Deus, de falar e de experimentar o mistério. Como costumava dizer o saudoso professor Ulpiano Vázquez, sj (in memoriam), nas aulas sobre a Trindade: “O mistério de Deus, permanecendo mistério, mesmo permanecendo misterioso, é dizível”. É nessa possibilidade do “dizível” que a celebração da Santíssima Trindade nos faz meditar.

Meditar sobre o que aprendemos desde cedo, na catequese: que, ao traçar sobre nós o “em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”, estamos expressando o sinal que nos identifica – a cruz.

Celebrar a Santíssima Trindade, portanto, é contemplar o mistério do amor absoluto de Deus por nós – exatamente como indica a raiz dessa palavra: ab-soluto, livre de tudo, sem reservas. Quando dizemos que Deus é Trindade, afirmamos, junto com toda a Tradição, o que o evangelista São João sintetizou: “Deus é amor”.

Deus nos ama com largueza. Livremente o Filho nos amou. Nós também somos chamados a viver no mesmo amor. Viver no amor é exigente. Quem ama de verdade não concorda com os sistemas sociais e econômicos que geram múltiplas formas de exclusão, marginalização e empobrecimento.

No Evangelho de hoje, Jesus promete aos discípulos o Espírito, o vínculo de amor perfeito. É o Espírito que faz a comunidade sentir a presença consoladora do Senhor. O Espírito nos faz corajosos. “A esperança não decepciona, pois o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5,5). A Santíssima Trindade nos guie em todos os caminhos, rumo à construção do mundo novo.

Pe. Antonio Iraildo Alves de Brito, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar