05 de junho – SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO | Paulus Editora

O Domingo
05 de junho – SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

Indicar a um amigo:





O MILAGRE DA PARTILHA

Em volta de Jesus e dos apóstolos havia uma multidão de necessitados: doentes, sem-casa, famintos… A tarde vinha chegando. O que fazer com aquela multidão? Despedi-los, para encontrarem abrigo e alimento, antes de a noite cair, é a proposta dos apóstolos. Limitam-se à tradicional “lei do mercado”. O Mestre os desafia: “São vocês que devem dar-lhes de comer”. Ele os provoca com nova proposta: partilhar o pouco que cada um trouxe. E o milagre acontece! O pouco de cada um, abençoado por Jesus, alimentou aquela multidão e ainda sobrou.

O milagre acontece onde há partilha e solidariedade. Na partilha, nunca falta e sempre sobra. A fome se instaura quando o objetivo é tão somente o lucro: produzir para exportar. Assim, os ganhos de poucos são postos acima do atendimento às pessoas. A agricultura familiar, com incentivo governamental, é o que leva comida às mesas das famílias. O flagelo da fome, evidenciado ainda mais, nestes últimos anos, pela pandemia, alastra-se a olhos vistos em nosso país.

A festa do Corpo e do Sangue de Cristo nos questiona sobre essa triste realidade.  A Igreja lê, nesse milagre do pão, a simbologia da Eucaristia. Os gestos de Jesus se repetem em cada missa: tomar, abençoar, partir e distribuir. Na Eucaristia, todos são convidados a participar da mesa; o mesmo deveria se ver, no dia a dia, na mesa de cada família. Enquanto isso não ocorre, em algumas mesas sobra e em muitas falta. Quem comunga o Corpo de Cristo não pode ficar indiferente à situação de multidões que passam fome.

Na Eucaristia, Cristo torna-se pão para nossa vida e vinho para fortalecer o amor e a alegria. Comendo o pão e bebendo o vinho eucarísticos, habilitamo-nos a participar da comunhão com todos aqueles que se aproximam desse dom. A festa do Corpo de Cristo é a celebração e a santificação de todos os corpos, templos do Espírito Santo. Ao se encarnar, Deus assume um corpo humano e se solidariza com todos os corpos fragilizados, para que tenham vida digna.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar