Revelações do Amor Divino | Paulus Editora

Releases

13/07/2018

Revelações do Amor Divino

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





Ficha Técnica
Título: Revelações do Amor Divino
Autor (a): Juliana de Norwish
Acabamento: Brochura
Coleção: Clássicos do Cristinismo
Formato: 13,5 (larg) x 21 (alt)
Páginas: 264
Área de interesse: Espiritualidade

Livro da PAULUS apresenta as dezesseis revelações divinas, da mística Juliana de Norwich

 “Vi como se eu estivesse no tempo de sua paixão. E na mesma visão, repentinamente, a Trindade preencheu o meu coração com a máxima alegria”

 A PAULUS Editora lança a obra Revelações do Amor Divino, escritos de Juliana de Norwich, mística inglesa do século XV. O livro, com tradução e apresentação de Marcelo Masson Maroldi, é parte da coleção Clássicos do Cristianismo, que deseja oferecer aos leitores informações preciosas e históricas dos grandes místicos da Igreja e, importantes figuras do Cristianismo.

Nesse sentido, o livro traduzido dos escritos originais “Revelations of divine love”,  versão em inglês, nasceu das dezesseis revelações (ou visões), recebidas por Juliana de Norwich diretamente por Deus, cujos relatos se enquadram na chamada tradicional mística medieval inglesa, de autores como Richard Rolle e Margery Kempe.

Segundo a apresentação, o conteúdo expressa claramente a aflição típica da provação vivida pelos grandes místicos da história da Igreja, mas, também, a imensa alegria e êxtase pela sua especial condição e dedicação a Deus. Nesta publicação, estão presentes inúmeros temas dos aspectos religiosos e teológicos. As revelações envolvem as seguintes questões: Mas o que é Deus? O que é o ser humano? O que é pecado, o sofrimento? E o demônio? O que é a alma e qual é sua função?

Em Revelações do Amor Divino, Juliana de Norwich convida o leitor a adentrar o mistério da divindade, da Trindade, do amor de Deus, do conceito de pecado e de alma e a metáfora de Jesus como nossa mãe, uma vez que, em suas visões consta uma revelação sobre a doce figura de Maria como Mãe.

Nessa perspectiva, Juliana se preocupou em transmitir o que viu, ouviu e sentiu. Assim, ela narra pouco de sua história pessoal. Segundo Marcelo Massom, pouco se sabe sobre a vida de Juliana, o que se sabe é apenas o que ela mesma narra a seu respeito. Sobretudo, o livro revela que Juliana teve suas visões em maio de 1373, quando tinha trinta anos de idade, quando atacou-lhe uma enfermidade grave que a deixou a beira da morte. Sua experiência de revelação durou mais de 24 horas, e durante mais de 20 anos ela refletiu sobre o seu significado e entendimento por auxílio espiritual.

De modo geral, os leitores terão acesso a dezesseis revelações que ocorreram em uma época de profundos acontecimentos sociais e políticos e tempos difíceis. Em um período de disputas religiosas, uma profunda crise humanitária, com constante presença da fome, de epidemias como a peste negra, catástrofes naturais e guerras, que dizimavam as populações e tornavam os homens sem esperança e moralmente abalados, gerando um pessimismo que somente a fé e a espiritualidade pareciam conseguir restaurar.

Segundo a tradução do livro, apesar de se tratar de uma experiência pessoal concedida a Juliana, a mística, esclarece a universalidade de seu relato, na certeza de que a mensagem não se dirige aquela simples serva de Deus, mas a todos os homens.

Com as revelações, Juliana convida a refletir especialmente sobre o mundo interior, as coisas internas relacionadas à alma e que orientam para as coisas do alto, isto é, as mais elevadas e fundamentais, que ajudam a entender a vida, neste mundo material.