PATOLOGIAS DO PODER – Saúde, direitos humanos e a nova guerra contra os pobres | Paulus Editora

Releases

19/03/2018

PATOLOGIAS DO PODER – Saúde, direitos humanos e a nova guerra contra os pobres

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





FICHA TÉCNICA

Título: Patologias do Poder
Autor: Paul Farmer
Coleção: Ethos
Acabamento: Costurado
Formato:
13.5 (larg) x 21 (alt)
Páginas: 504
Área de interesse:
Filosofia

“As violações dos direitos humanos são patologias do poder e estão intimamente ligadas às condições sociais que geralmente determinam quem sofrerá os abusos e quem será protegido dos danos.”

Escrito por um Comissário Especial da ONU para o Haiti, o livro narra as duras realidades de vida e morte, luta e sofrimento em busca dos direitos humanos. As áreas da saúde pública e da medicina são peças-chave para o progresso concreto e comprometido com o futuro dos direitos humanos, tendo em vista o usufruto equitativo dos avanços científicos por países mais pobres e explorados.

Lançada pela PAULUS Editora, a obra interpela, questiona e leva o leitor a refletir sobre o que são, de fato, os direitos humanos e quais são as artimanhas políticas de poder que põem em xeque tais direitos. Narrativas particulares do Haiti, Peru e Russia, entre outros países, constroem uma corrente de empatia capaz de oferecer, de modo concreto, exemplos de lutas, conquistas, perdas e necessidade de mudança.

O autor denuncia a realidade cruel e violenta do mercado e de instituições que matam cidadãos, levam ao desastre nações inteiras e destroem sonhos de milhares de crianças, homens e mulheres em prol de interesses políticos e econômicos. No entanto, o livro não é um relatório econômico ou político, tampouco esgota toda a problemática dos direitos humanos; de fato, ele constitui um diário de bordo de quem conheceu, de dentro, o drama de milhares e milhares de “ninguéns” pelo mundo afora.

Patologias do poder está dividido em duas partes. Os primeiros capítulos narram as experiências do autor, testemunha dos eventos descritos nestas páginas, na América Latina e na Rússia. A segunda parte, por sua vez, sem se abster das experiências anteriores, faz uma análise e uma descrição de base para a crítica das visões “liberais” dos direitos humanos, que nunca ou raramente estão do lado dos mais pobres.

Paul Farmer é comissário especial da ONU para o HAITI e professor titular de Saúde Global e Medicina Social em Harvard. Também é professor de Antropologia na Faculdade de Medicina de Harvard e chefe do setor de Medicina social e Desigualdades no Brigham and Women’s Hospital de Boston. É diretor-fundador da organização Partners In Health. Recebeu inúmeros prêmios por sua atuação em prol dos direitos humanos.