Atos de Tomé | Paulus Editora

Releases

24/09/2021

Atos de Tomé

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





Ficha Técnica
Título: Atos de São Tomé
Autor (a): José Adriano Filho
Coleção: Apocrypha
Acabamento: Brochura
Formato: 13.5 (larg) x 21 (alt)
Páginas: 144
Área de interesse: Bíblico

Obra da “coleção Apocrypha” narra a trajetória do apóstolo Tomé

Lançado pela PAULUS Editora, o livro “Atos de Tomé”, da coleção “Apocrypha”,  narra ao leitor as aventuras do apóstolo Tomé, que prega um caminho ascético de cristianismo no caminho para e na Índia. Em sua trajetória como apóstolo, ele opera grandes feitos em nome de Deus. De acordo com a publicação, Atos de Tomé, junto com os Atos de André, de João, de Paulo e de Pedro, compõe o corpus dos cinco Atos Apócrifos.

O autor José Adriano Filho utiliza criativamente a história ao recontar a trajetória do apóstolo Tomé e suas façanhas públicas – a narrativa combina lendas populares, propaganda religiosa e ensino. Esta publicação expõe ao leitor os treze Atos da vida do apóstolo, além do relato sobre o seu martírio. O idealizador esclarece que Tomé é um estrangeiro inserido no tecido social dos reinos da Índia como um carpinteiro. O apóstolo errante orienta as pessoas a caminharem para o seu verdadeiro lar celestial, atribuindo-lhes posições que antecipam suas vidas no céu.

Nesta narrativa, o apóstolo chamado de “Tomé”, “Judas Tomé”, “Judas, irmão gêmeo de Jesus”, é apresentado como um eco da narrativa da vida de Cristo. Segundo o autor, o apóstolo opera maravilhas, ressuscita mortos e utiliza os sacramentos para curar pessoas atormentadas pelo demônio.

Nos chamados “Treze Atos” apresentados na obra, o autor concentra-se em descrever a trajetória e as principais ações do apóstolo em sua missão evangelizadora em terras estrangeiras. Entre as narrativas expostas pelo autor, estão: “A missão de evangelizar na Índia”, “A chegada diante do rei Gundafor e sua atenção aos pobres e necessitados”, “O caso da serpente, o jumentinho, o demônio que morava numa mulher”, “O moço que havia assassinado uma jovem”, “O chefe do exército, os asnos selvagens, a mulher de Misdeu”, “Hino da Peróla”, “O batismo de Migdônia”, “Vazan – o filho do rei Misdeu”, “O batismo de Vazan” e dos demais.

Na visão do autor, o cristianismo que Tomé apresenta inverte os valores da sociedade, pois a mensagem proclamada por ele desafia a ordem social e provoca a ira dos governantes locais. Segundo a obra, a missão cristã provoca o caos, mas transforma a desordem em ordem. Além disso, a narração ainda apresenta cenas de casamentos que são destruídos, esposas que fogem de seus maridos; pessoas mortas que retornam do mundo inferior e animais que, ao falar, revelam conhecimento das coisas ocultas. Tais acontecimentos revelam mudanças comportamentais em virtude da mensagem proclamada pelo apóstolo.

Esta narrativa também estabelece contrastes entre o corruptível e o incorruptível, reis e servos, o demoníaco e esta terra versus o divino e o celestial, homens e mulheres, a conversão do coração e a cura do corpo. Por fim, o autor José Adriano Filho fala sobre o martírio glorioso do apóstolo Tomé, finalizando assim, o mandato daquele que o enviou para evangelizar e proclamar aos homens e mulheres palavras de Salvação.