O Domingo – Palavra
FERVOROSOS ANIMADORES DA IGREJA NASCENTE

Indicar a um amigo:





Dois fiéis apóstolos de Cristo, ambos mártires por causa do Evangelho. Sob vários aspectos, Pedro e Paulo são diferentes: idade, cultura, temperamento… Entretanto, essas duas colunas da Igreja primitiva têm coisas em comum.

Chamados por Cristo. Pedro, pescador da Galileia, recebe de Jesus o convite para se tornar “pescador de gente” (cf. Mc 1,17). Paulo, estudioso das Escrituras, fabricante de tendas, é sacudido pelo mesmo Jesus a quem perseguia ferozmente. Do encontro-surpresa surge novo homem: será consciente e entusiasta pregador do Evangelho por toda parte.

Fidelidade ao Mestre. Tanto Pedro quanto Paulo tiveram de percorrer o árduo caminho da fé no Senhor, a quem se dispuseram a servir. Imensas foram as provações, incontáveis os obstáculos da caminhada. Houve momentos de dúvida. A Pedro faltava maior clareza sobre quem de fato era o Messias, por isso foi censurado: “Vá para trás de mim, satanás, você é para mim uma pedra de tropeço, porque não pensa nas coisas de Deus, e sim nas coisas dos homens” (Mt 16,23). Na hora da paixão do Senhor, Pedro o renega. Mas, tocado pelo olhar compassivo de Jesus, arrepende-se e chora amargamente. Rea­ta a amizade. Sua vida desemboca no martírio, em Roma. Paulo, cheio de convicção, prega o Evangelho a judeus e não judeus. Experimenta na pele e no íntimo duras oposições de seus compatriotas, e também dos estrangeiros. Perseguido, escapa; insultado, esclarece o motivo de seu zelo apostólico: “Eu fui alcançado por Cristo Jesus” (Fl 3,12). Isso é o principal para ele, o resto é lixo (cf. Fl 3,7s). Funda comunidades, escreve cartas resolvendo questões práticas ou reforçando princípios bíblicos e teológicos, afervora os cristãos, cujo número crescia de modo gratificante. Missionário batalhador, Paulo não ficou isento do cansaço e do desânimo. O Senhor, porém, nunca o abandonou: “Não tenha medo; continue a falar e não se cale, porque eu estou com você” (At 18,9-10). O desfecho de sua história, vivida intensamente, não poderia ser outro senão o martírio. Também em Roma.

Pedro e Paulo são conhecidos como sólidos pilares da Igreja de Cristo. Modelos de fidelidade à missão recebida e fervorosos animadores das comunidades cristãs primitivas.

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar