Dia 24 – TERÇA-FEIRA | Paulus Editora

Liturgia Diária
Dia 24 – TERÇA-FEIRA

Indicar a um amigo:





25ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Eu sou a salvação do povo, diz o Senhor. Se clamar por mim em qualquer provação, eu o ouvirei e serei seu Deus para sempre.

Com alegria nos reunimos na casa do Senhor para celebrar e contribuir para a edificação de uma comunidade viva e atuante, empenhada em formar com Jesus a grande família de Deus.

Primeira Leitura: Esdras 6,7-8.12.14-20

Leitura do livro de Esdras – Naqueles dias, 7o rei Dario escreveu ao governador do território da outra margem do rio Eufrates: “Deixa que prossigam os trabalhos no templo de Deus. Que o governador de Judá e os anciãos dos judeus edifiquem a casa de Deus no seu lugar. 8Também ordenei como se deve proceder com aqueles anciãos dos judeus que constroem aquela casa de Deus: com os bens do rei, deveis reembolsar religiosamente e sem interrupção aqueles homens por tudo o que gastarem. 12Eu, Dario, dei esta ordem. Que ela seja pontualmente executada!” 14E os anciãos dos judeus continuaram a construir, com êxito, de acordo com a profecia de Ageu, o profeta, e de Zacarias, filho de Ado, e puderam terminar a construção conforme a ordem do Deus de Israel e as ordens de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis da Pérsia. 15Esta casa de Deus foi concluída no terceiro dia do mês de Adar, no sexto ano do reinado de Dario. 16Os filhos de Israel, os sacerdotes, os levitas e o resto dos repatriados celebraram com alegria a dedicação desta casa de Deus. 17Ofereceram, para a inauguração desta casa de Deus, cem touros, duzentos carneiros, quatrocentos cordeiros e, como sacrifício pelo pecado de todo Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel. 18Estabeleceram também os sacerdotes, segundo suas categorias, e os levitas, segundo suas classes, para o serviço de Deus em Jerusalém, como está escrito no livro de Moisés. 19Os deportados celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês. 20Como todos os levitas se haviam purificado juntamente com os sacerdotes, estavam puros; e, assim, imolaram a Páscoa para todos os filhos do cativeiro, para os sacerdotes seus irmãos e para eles próprios. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 121(122)

Que alegria quando me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

  1. Que alegria quando ouvi que me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!” / E agora nossos pés já se detêm, / Jerusalém, em tuas portas. – R.
  2. Jerusalém, cidade bem edificada / num conjunto harmonioso; / para lá sobem as tribos de Israel, / as tribos do Senhor. – R.
  3. Para louvar, segundo a lei de Israel, / o nome do Senhor. / A sede da justiça lá está / e o trono de Davi. – R.
Evangelho: Lucas 8,19-21

Aleluia, aleluia, aleluia.

Feliz quem ouve e observa a Palavra de Deus! (Lc 11,28) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 19a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele por causa da multidão. 20Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. 21Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus está entretido com a multidão, falando do Reino de Deus. Passam-lhe o recado de que sua mãe e outros parentes estão fora e querem vê-lo. Ótimo ensejo para Jesus nos brindar com mais um ensinamento surpreendente. No judaísmo, os laços do sangue, da raça e da família tinham caráter sagrado e absoluto. A palavra de Jesus os relativiza. Nenhuma instituição natural poderá constituir o fundamento do povo de Deus. Única base para o novo povo de Deus é a Palavra divina: os que a acolhem e praticam formam a família de Jesus. Com isso, ele se faz nosso irmão, “o primogênito entre muitos irmãos” (Rm 8,29). Ora, se Jesus é nosso irmão, somos filhos e filhas de Deus e podemos chamar a Deus de Pai: Pai nosso! Dessa família é que surge o mundo novo, cheio de liberdade e vida para todos.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)


Liturgia Diária

É um subsídio mensal que contempla toda a caminhada litúrgica de cada mês. Apresenta ao leitor algumas opções de orações eucarísticas, um breve comentário dos santos e das leituras de cada dia, uma variada opção de cantos, além de trazer, a cada domingo, uma opção de círculo bíblico.

Assinar