Liturgia Diária
Dia 12 – SEGUNDA-FEIRA

Indicar a um amigo:





19ª SEMANA COMUM

(verde – ofício do dia)

Considerai, Senhor, vossa aliança e não abandoneis para sempre o vosso povo. Levantai-vos, Senhor, defendei vossa causa e não desprezeis o clamor de quem vos busca (Sl 73,20.19.22s).

Glorificar o Senhor implica reconhecer sua ação grandiosa na história, responder com nosso amor a ele e ao próximo – sobretudo ao mais necessitado – e não esquecer nosso compromisso com o bem comum.

Primeira Leitura: Deuteronômio 10,12-22

Leitura do livro do Deuteronômio – Moisés falou ao povo, dizendo: 12“E agora, Israel, o que é que o Senhor teu Deus te pede? Apenas que o temas e andes em seus caminhos; que ames e sirvas ao Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma 13e que guardes os mandamentos e preceitos do Senhor, que hoje te prescrevo, para que sejas feliz. 14Vê, é ao Senhor teu Deus que pertencem os céus, o mais alto dos céus, a terra e tudo o que nela existe. 15No entanto, foi a teus pais que o Senhor se afeiçoou e amou; e, depois deles, foi à sua descendência, isto é, a vós, que ele escolheu entre todos os povos, como hoje está provado. 16Abri, pois, o vosso coração e não endureçais mais vossa cerviz, 17porque o vosso Deus é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas nem aceita suborno. 18Ele faz justiça ao órfão e à viúva, ama o estrangeiro e lhe dá alimento e roupa. 19Portanto, amai os estrangeiros, porque vós também fostes estrangeiros na terra do Egito. 20Temerás o Senhor teu Deus e só a ele servirás; a ele te apegarás e jurarás por seu nome. 21Ele é o teu louvor, ele é o teu Deus, que fez por ti essas coisas grandes e terríveis que viste com teus próprios olhos. 22Ao descerem para o Egito, teus pais eram apenas setenta pessoas, e agora o Senhor teu Deus te fez tão numeroso como as estrelas do céu”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 147(147B)

Glorifica o Senhor, Jerusalém!

  1. Glorifica o Senhor, Jerusalém! / Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! / Pois reforçou com segurança as tuas portas / e os teus filhos em teu seio abençoou. – R.
  2. Apaz em teus limites garantiu / e te dá como alimento a flor do trigo. / Ele envia suas ordens para a terra, / e a palavra que ele diz corre veloz. – R.
  3. Anuncia a Jacó sua palavra, / seus preceitos e suas leis a Israel. / Nenhum povo recebeu tanto carinho, / a nenhum outro revelou os seus preceitos. – R.
Evangelho: Mateus 17,22-27

Aleluia, aleluia, aleluia.

Pelo evangelho o Pai nos chamou, / a fim de alcançarmos a glória de nosso Senhor Jesus Cristo (2Ts 2,14). – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 22quando Jesus e os seus discípulos estavam reunidos na Galileia, ele lhes disse: “O Filho do homem vai ser entregue nas mãos dos homens. 23Eles o matarão, mas no terceiro dia ele ressuscitará”. E os discípulos ficaram muito tristes. 24Quando chegaram a Cafarnaum, os cobradores do imposto do templo aproximaram-se de Pedro e perguntaram: “O vosso mestre não paga o imposto do templo?” 25Pedro respondeu: “Sim, paga”. Ao entrar em casa, Jesus adiantou-se e perguntou: “Simão, que te parece: os reis da terra cobram impostos ou taxas de quem, dos filhos ou dos estranhos?” 26Pedro respondeu: “Dos estranhos!” Então Jesus disse: “Logo os filhos são livres. 27Mas, para não escandalizar essa gente, vai ao mar, lança o anzol e abre a boca do primeiro peixe que tu pescares. Ali tu encontrarás uma moeda; pega então a moeda e vai entregá-la a eles, por mim e por ti”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus é questionado pelos fiscais do Templo: vai pagar ou não o imposto anual ao Templo? Consta que os sacerdotes e muitos mestres estavam isentos de pagar esse imposto. Os fiscais querem saber se Jesus, que é chamado Mestre, está se beneficiando da mesma mordomia. O fato de Jesus pagar mostra que ele não apoia uma sociedade injusta em que os grandes têm privilégios à custa dos pobres. Quanto ao imposto cobrado pelos reis, ou seja, as taxas cobradas pelos estrangeiros, Jesus denuncia a exploração internacional que empobrece os povos dominados e os faz viver na miséria. De qualquer forma, Jesus se serve da generosidade da natureza (peixe) e satisfaz a exigência da lei. Quando não há exploração do povo e acumulações de bens, a natureza supre a necessidade de todos.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)


Liturgia Diária

É um subsídio mensal que contempla toda a caminhada litúrgica de cada mês. Apresenta ao leitor algumas opções de orações eucarísticas, um breve comentário dos santos e das leituras de cada dia, uma variada opção de cantos, além de trazer, a cada domingo, uma opção de círculo bíblico.

Assinar