Dicas de leitura: Dia da Mulher Africana | Paulus Editora

Notícias

29/07/2021

Dicas de leitura: Dia da Mulher Africana

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





Neste sábado, 31 de julho, celebra-se o Dia da Mulher Africana. A data foi instituída no ano de 1962, em Dar-es-Salaam, na Tanzânia, durante a Conferência das Mulheres Africanas. O dia foi constituído a partir da retomada de consciência sobre as inúmeras lutas e conquistas que as mulheres africanas travaram no decorrer da história. A data também é um convite à reflexão sobre o espaço e o importante papel dessas mulheres na sociedade e, no enfrentamento de vários problemas e situações do continente africano.

O rosto da mulher africana carrega a história de um povo, a história de mulheres cuja descendência passou por inúmeras injustiças, como o regime escravocrata, o tráfico de mulheres para outros continentes, o roubo de suas identidades em virtude de uma sociedade capitalista, a violência, a falta de instrução, entre outras privações que essas mulheres enfrentaram e ainda enfrentam nos dias atuais.

Perto dos 60 anos de comemoração, esse dia segue com reivindicações e debate sobre o protagonismo da mulher africana na construção de uma nova “África”. Essas mulheres ainda reivindicam o respeito e o direito a melhores condições de vida e o acesso à educação, saúde, trabalho, igualdade, informação e democracia. Para celebrar a data, a PAULUS indica alguns livros que retratam a beleza da cultura africana e a força dessas mulheres que, cada vez mais, conquistam diferentes espaços. Confira!

Josefina Bakhita, o coração nos martelava no peito: diário de uma escrava que se tornou santa

 

“Uma pérola negra, africana, está incrustada na coroa da glória de Deus. Para nós, Bakhita é o testemunho dos mais doces atributos de Deus: o seu fiel e eterno amor, a sua misericórdia e compaixão, a sua infinita bondade. Bakhita, precisamente para nós, fala da absoluta liberdade de Deus nas suas escolhas, com preferência privilegiada pelos pobres e humildes. A vida de Bakhita, antes no Sudão, depois na Itália, é a história do amor de Deus que salva e redime, que ergue do monturo os pobres, para fazê-los assentar-se entre os grandes do seu povo. Ela nos ajuda a iluminar o mistério pascal: o mistério da grande passagem da morte para a vida, da escravidão para a liberdade, do desespero para a esperança.” Cardeal Gabriel Zubier Wako, arcebispo de Cartum, Sudão. Saiba mais!

Mãe África – mitos, lendas, fábulas e contos

 

Este livro apresenta uma rica coletânea de histórias africanas feitas com base em ampla pesquisa, com o objetivo de ressaltar a diversidade de etnias do continente africano. O autor selecionou 29 histórias originárias de diversos lugares da África, procurando privilegiar histórias ainda não publicadas em português. Os leitores encontrarão aqui uma festa plural de cores, nomes, belezas, sabores, feitos e fantasias africanas, os quais exercem muita influência na cultura brasileira. Saiba mais!