Releases

12/07/2019

O caderno dos meus pecados

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





Ficha Técnica

Título: O caderno dos meus pecados
Autor: Santa Gemma Galgani
Acabamento: Brochura
Coleção: Espiritualidade
Formato: 13.5 (larg) x 20 (alt)
Páginas: 96
Área de interesse: Santos

Escrito por Santa Gemma Galgani, a obra O caderno dos meus pecados, traduzida e publicada pela PAULUS Editora, traz a breve história de sua vida a pedido de seu diretor espiritual, padre Germano de Santo Estanislau, C.P. Os relatos descritos neste livro são de rara e sensível beleza. Escrito com simplicidade, mas com muita profundidade e sinceridade de coração.

Santa Gemma mostrou certa resistência em aceitar o pedido de seu diretor espiritual e escrever, mas fez estes relatos por obediência e, por considerá-los confessionais. Ela desejava que o padre Germano os destruísse depois de lê-los. O padre tinha o objetivo de tomar conhecimento dos anos que ela tinha vivido antes de conhecê-lo. Ele estava intrigado com o que via naquela jovem que, já com características de santa, a cada dia se revelava de modo mais surpreendente nas suas relações com o transcendental.

De acordo com o padre José Carlos Pereira, CP, autor da apresentação da obra, Gemma tinha dificuldades de falar de si mesma, e só fazia por confissão, isto é, no sacramento penitencial. Assim, cada página desta autobiografia é uma espécie de confissão e, também, resultado de um esforço doloroso.

Gemma considerava essa obra uma extensão de suas confissões, ou confissões gerais, por se tratar de um resgate de sua história de vida, de quedas e reerguimentos. Por essa razão, ela chamou a estes escritos O caderno de meus pecados.

Seu diretor espiritual não tinha o objetivo de destruir os escritos, porém o diabo intencionava fazê-lo, porque eram escritos que faziam bem à alma que ele desejava possuir. Essa autobiografia, escrita em forma de carta foi preservada e chegou aos dias atuais com o objetivo de contribuir grandemente com a vida espiritual de tantas pessoas que buscam beber na fonte da mística dessa santa, para se abastecer espiritualmente e vencer suas tentações.

Santa Gemma Galgani (1878- 1903) foi uma mística italiana, ligada à espiritualidade da Ordem Passionista, na qual, jamais proferiu votos de profissão religiosa. Perdeu a mãe ainda criança, aos sete anos. Foi educada pelo pai e cresceu em Lucca com os irmãos. Quando o pai perdeu tudo, a família teve que se mudar para uma casa muito modesta, na rua que atualmente traz seu nome, onde recebeu os estigmas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Rejeitada pelo mosteiro da cidade, foi acolhida pela rica família Giannini, que lhe ofereceu abrigo na própria casa, onde Gemma passou cinco anos. Contraindo tuberculose, teve de mudar-se da residência dos Giannini para uma casa ao lado, onde falece em odor de santidade, com apenas 25 anos, assistida por seu confessor, monsenhor Volpi, e pelo sacerdote passionista Germano Rouppolo. Após sua morte, foi construído em Lucca um mosteiro de monjas passionistas, com o qual a santa havia tanto sonhado, e onde repousam seus restos mortais. Foi beatificada em 1933, por Pio XI, e canonizada por Pio XII, 1940.