Releases

07/03/2018

Lendo o livro de Joel – Profecia em defesa da vida

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





Ficha Técnica

Título: Lendo o livro de Joel – Profecia em defesa da vida

Autores: Luiz Alexandre Solano Rossi e Natalino das Neves

Coleção: Lendo a Bíblia

Acabamento: Brochura

Formato: 13.5 (larg) x 21 (alt)

Páginas: 72

Área de Interesse: Bíblia Sagrada

Para Joel a precariedade da vida não é coisa do destino. A hora em que ele vive tem projeção social

Lendo o livro de Joel – Profecia em defesa da vida, de Luiz Alexandre Solano Rossi e Natalino das Neves, faz parte da coleção Lendo a Bíblia. A obra é um subsídio para quem deseja compreender ou se aprofundar no livro de Joel.

Segundo os autores, Joel é considerado um dos profetas menores, título que se dá em razão de seus textos serem mais resumidos – na Bíblia, apresenta apenas quatro capítulos. Além de utilizar uma variedade de gêneros em sua literatura, outra característica são as crises intermináveis apresentadas em seus textos. Assim, pode-se verificar com certa facilidade que Joel é citado quando uma dificuldade entra em cena, em passagens paralelas aos livros proféticos e a outros livros do Antigo Testamento. A qualidade da redação do livro demonstra que Joel era uma pessoa culta. Ele consegue transformar uma crise nacional gerada por infortúnios catastróficos em poesia.

A obra está dividida em duas partes: a primeira traz o apelo do povo depois das invasões de gafanhotos e nações inimigas. Serão comentadas as descrições das invasões, os impactos que elas tiveram para o povo de Judá e como este respondeu à convocação de penitência do profeta Joel. A segunda parte fala sobre a prosperidade agrícola, a efusão do espírito, o julgamento contra as nações inimigas e também sobre a restauração de Judá.

Os autores também apresentam um contexto socioeconômico e político da época – falam um pouco sobre o império persa e também informações dos séculos VI a IV a.C. Entender a história é importante para que fique claro por que o tempo de Joel é um tempo do pós-exílio, de domínio imperialista, de precariedade, de crise. “O profeta traz consigo uma certeza que fará diferença na crise em que ele e o povo estão envolvidos. Em meio à crise e ao desespero, o profeta se posiciona bem no centro crítico como representante da esperança de Deus para todos.”