O Domingo
CONVIDADOS AO BANQUETE DO REINO

Indicar a um amigo:





Jesus conta uma parábola aos sumos sacerdotes e aos anciãos do povo para falar do Reino de Deus. Aqui Deus é imaginado como rei. Os convidados pouco caso fizeram do seu convite, cada um deu sua desculpa: um foi para seu campo, lugar de produção; outro foi para seus negócios, lugar do mercado/comércio; outros ainda agiram de forma hostil contra os empregados do rei. Ninguém se dignou a participar do banquete nupcial; todos tinham outras prioridades.

A sala ficou cheia quando os empregados foram às encruzilhadas e convidaram maus e bons. O convite é aberto a todos, maus e bons. Mesa cheia de convidados, sem discriminação alguma, é motivo de muita alegria.

A parábola mostra ser necessário ir além dos caminhos de Jerusalém, ou de Israel, já que os “da casa” tinham outras prioridades. A proposta do Reino anunciado por Jesus é dirigida a todos os povos, sem discriminação, mas exige comprometimento, expresso pelo “traje de festa” a ser vestido. Entra no Reino quem acolhe o convite gratuito do rei e veste a roupa adequada, sinal do compromisso com o projeto de Jesus.

Como seria bom ver a mesa cheia de convivas que participam do banquete proposto por Jesus! Como é bom ver pessoas vestindo o traje do compromisso com o Reino de Deus! Infelizmente, porém, muitos continuam surdos aos apelos que não sejam os do seu próprio interesse e não se abrem aos apelos que poderiam transformar a vida e a realidade. Mesmo assim, Deus não se cansa de convidar, pois tudo está preparado e seu desejo é que a sala fique lotada de gente.

Mais uma vez, o Evangelho nos chama à festa do amor, em torno da mesa repleta de convidados, que partilham alegrias e esperanças. Na correria do dia a dia, nem sempre sobra tempo e espaço para a fraternidade e a partilha. Deus nos quer ver todos juntos, sentados com ele em torno de uma mesma mesa, para desfrutar de uma vida feliz, sem discriminação nem rejeição de ninguém.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar