O Domingo
6 de outubro: 27º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





FÉ É SERVIÇO QUE TRANSFORMA

Ao conviver com o Mestre, ver suas ações e ouvir seus ensinamentos, os apóstolos reconhecem os próprios limites. Pedem, por isso, que Jesus lhes aumente a fé. Querem de presente uma fé maior, que os torne capazes de perdoar mais facilmente e fazer coisas maiores.

A resposta de Jesus vem com uma comparação. A fé é como um grão de mostarda. Um grão que é dom de Deus, mas precisa ser semeado para frutificar. A fé, dom de Deus, tem em si o poder de se transformar e transformar as realidades, mas os frutos da fé dependem de nós.

Se o destino natural da semente é se transformar e frutificar, qual seria o nosso destino? Vem então a outra comparação feita por Jesus, que fala de um servidor ocupado simplesmente em servir. Trata-se da atitude fundamental diante de Deus: reconhecermo-nos devedores Àquele de quem tudo recebemos e de quem somos simples servos. Serviço que se aprende, afinal, do próprio Mestre, o exemplo de Servidor.

O que os apóstolos queriam era muito bom: continuar, com uma “fé maior”, os sinais de vida da missão de Jesus, suas ações e ensinamentos. Mas fé não é questão de tamanho. Se tivermos fé, será como um grão de mostarda, que tem o poder de transformar e gerar vida.

Fé que frutifica, é bom lembrar, não tem que ver simplesmente com desejos atendidos ou necessidades satisfeitas. Tem que ver sobretudo com as relações fraternas que construímos, com a missão de vida que abraçamos – a mesma missão do Mestre, que comporta também sofrimentos e fracassos.

Os frutos da fé, portanto, só podem vir pelo serviço desinteressado a Deus. E como a ele só podemos servir servindo ao próximo, então talvez nossa melhor atitude diante de Deus seja perseverar. Perseverar na missão de servir ao seu projeto, transformando o mundo para melhor, pois nisto está o poder de nossa fé.

Diante de Deus somos simples servidores: devemos tudo a ele e nada podemos exigir. Que possamos seguir nosso destino natural, com a fé que permite ir além, como uma semente que morre para trazer vida.

Pe. Paulo Bazaglia, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar