O Domingo
25 de novembro: Cristo Rei

Indicar a um amigo:





LEIGAS E LEIGOS NOS PASSOS DE CRISTO REI

No evangelho de hoje, Jesus é interrogado sobre se seria rei e onde estaria seu reinado. Ele, no entanto, faz ver que seu reinado não se identifica com este modelo de mundo. O reino de Jesus é baseado na verdade, no amor ao próximo, no cuidado para com os mais fragilizados, para com todos aqueles que vivem à margem da sociedade.

Esse reino nos é apresentado como sinal do compromisso assumido por meio de nosso batismo, que dá um sentido à nossa existência: o serviço, no cuidado pela vida plena para todos e todas.

Nos reinados deste mundo, os governantes são soberanos, põem-se acima dos outros, usando de sua autoridade. A proposta de Jesus é diferente: convida-nos a ser servos. Quem quiser ser grande é chamado a tornar-se servo do próximo, assim como ele fez. Pondo-se a servir, Cristo nos dá o exemplo de como agir com olhar misericordioso para com o próximo.

Por meio de gestos de generosidade, atenção, carinho e misericórdia, vamos transformando nossas ações e a própria sociedade, que, em muitos momentos, chegou perto de perder a esperança de encontrar um caminho para acabar com tanta injustiça, intolerância e exclusão. Jesus é rei; ele é amor; ele é a plenificação do amor de Deus pela humanidade.

De modo especial ao longo deste Ano do Laicato, fomos convidados a ser “sal da terra e luz do mundo” na Igreja e na sociedade. Como cristãos, vivemos muitos momentos dessa inserção nos espaços da sociedade. Fomos convidados a amar o próximo mais com ações do que com palavras, exercendo um cuidado mais relevante para com o negro, o índio, o migrante, a mulher, a criança e o adolescente. O evangelho nos chama a estar atentos aos clamores dos pobres e marginalizados. Nossa missão é ser uma Igreja de leigos e leigas comprometidos com a justiça e a verdade, ser sinais vivos de Cristo no mundo.

Patrícia Cabral

Conselho de Leigos e Leigas da Arquidiocese de Manaus


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar