O Domingo
25 de fevereiro: 2º Domingo da Quaresma

Indicar a um amigo:





ESCUTAR O FILHO AMADO

O Evangelho de Marcos, em sua primeira parte, vai revelando quem é Jesus por meio da prática do Mestre; no início da segunda parte, abre os olhos dos discípulos para que efetivamente o sigam. A transfiguração, texto de hoje, está no começo dessa segunda parte. Jesus toma consigo três de seus discípulos – Pedro, Tiago e João – e sobe a montanha, onde se transfigura diante deles.

Enquanto estão lá, aparecem-lhes Moisés (representante da lei) e Elias (representante dos profetas), sinal de que o projeto de Jesus está em sintonia com o Antigo Testamento. Diante dessa visão maravilhosa, Pedro intervém e propõe a construção de três tendas, tendo em mira a permanência nessa realidade. Com a proposta, Pedro deseja impedir que Jesus assuma a cruz e desça para a planície, lugar da missão, onde se encontram os desafios e os perigos. Da nuvem sai uma voz que revela Jesus como Filho amado (do Pai) e pede que seja escutado.

Somos convidados a subir a montanha com Jesus, fazer a experiência de sua transfiguração e escutar a voz do Mestre, que nos pede fidelidade no seguimento e nos aponta o que deve ser transfigurado ou transformado na realidade em que vivemos.

Neste mundo transtornado e de correria alucinada, temos cada vez menos tempo para escutar. Passamos ao lado das pessoas, mas somos incapazes de percebê-las, de tão concentrados que estamos em nós mesmos (e nos nossos celulares).

Subir a montanha e fazer a experiência com o transfigurado ilumina nossa visão acerca de Jesus. Pode nos ajudar a superar as imagens falsas que temos dele. Ele nos revela um Pai que ama e é capaz de oferecer o próprio Filho, o qual nos liberta dos males.

É a partir da experiência com ele no alto da montanha que entendemos o sentido de nossa vida. Vida que é dom a ser posto a serviço do bem do próximo. Vida que, frequentemente, precisa passar pela cruz para chegar à glória. A tentação que nos acompanha é chegar à Páscoa sem atravessar a semana da paixão; contudo, só chegaremos à Páscoa depois de passar pela Sexta-feira Santa.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar