O Domingo
20 de junho: Corpo e Sangue de Cristo

Indicar a um amigo:





JESUS QUER TODOS ALIMENTADOS

A solenidade do Corpo e Sangue de Cristo é a festa do pão e da partilha. Jesus se oferece como alimento para a vida e a caminhada do cristão. O banquete, desde o Antigo Testamento, é símbolo de aliança e solidariedade humana. A mesa não é para um só, mas para todos, para a fraternidade e o amor.

À tardezinha, diante da multidão faminta, os discípulos propõem a Jesus despedir todos aqueles homens, mulheres e crianças para que procurem onde se hospedar e se alimentar. É atitude de quem lava as mãos e não quer se comprometer.

Jesus os desconcerta com seu pedido: “Dai-lhes vós mesmos de comer”. Mas como alimentar tanta gente com cinco pães e dois peixes? Nesse impasse, sugerem o método tradicional: ir ao mercado e comprar.

O gesto de Jesus de abençoar e partir aqueles pães e peixes questiona nossa tendência de concentrar e não querer partilhar. Pão partilhado nas mesas é pão abençoado. Alimento certamente existe para fartar toda a população mundial. O problema está no desperdício e na concentração de quem não quer distribuir.

A alimentação é a primeira necessidade básica do ser humano. Sem alimento (pão e água), ninguém vive. Ao saciar a multidão, Jesus faz um apelo a todos – governantes e população em geral – para que ninguém fique sem comida.

A satisfação e a alegria de uma família consistem em ver todos os seus filhos e filhas comerem e ficarem saciados. Se esse é o sonho de cada família, é também o desejo de Deus. Infelizmente, são muitas as famílias que não conseguem providenciar o pão cotidiano para os seus. Quantos mendigos vemos perambulando pelas ruas e avenidas das grandes cidades em busca de um pedaço de pão e de dignidade!

Além da fome biológica, temos outra fome: a de humanização. Poderíamos dizer que um impulsor da humanização foi a invenção do pão. Daí para a frente, o ser humano foi descobrindo outros elementos para se manter em tal processo. A mesa da Eucaristia pode ser vista, portanto, como importante e apropriado meio para abrir o caminho à humanização.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar