O Domingo
17 de junho: 11º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





LANÇAR AS SEMENTES DO REINO

Os rabinos comparavam a parábola ao pavio de uma vela: apesar de insignificante, graças a ele é que a chama se mantém acesa. Jesus ensinava por meio de parábolas e, quando necessário, explicava-as. O capítulo 4 de Marcos apresenta diversas delas, e as duas do texto de hoje expõem os segredos do Reino.

Não é fácil entender o que é o “reino de Deus”; talvez seja por isso que o Mestre o tenha mencionado tanto e o tenha descrito com imagens tomadas da vida do povo da roça do seu tempo. Procurou explicá-lo com parábolas, com comparações e metáforas para facilitar a compreensão.

A primeira parábola nos conduz a ver que o desenvolvimento da semente lançada à terra independe do controle do semeador. Ele só entra em ação no começo, na semeadura, e no fim, na hora da colheita. Em contato com a terra fértil, a própria semente tem a força vital que a faz se desenvolver por si mesma.

Utilizando essa imagem, Jesus estabelece a comparação com o Reino, que, encontrando ambiente propício, produz resultados em favor da vida. Mesmo em tempo de crises e dificuldades, cabe acreditar na força da semente do Reino.

A outra parábola, a do grão de mostarda, apresenta o contraste entre a “menor semente” e a “maior das hortaliças”. Essa parábola não se vincula a pretensões de grandeza nem de triunfo. Nela a semente tornada árvore é comparada ao reino de Deus na medida em que se desenvolve a ponto de acolher e proporcionar vida. O Reino consiste nisto: acolher, fornecer abrigo seguro e proporcionar vida em plenitude.

Tal parábola contrasta o “reino de Deus” com o “reino dos homens”. Ao invés de se preocuparem com a vida do povo, os grandes impérios têm pretensões de grandeza e tirania. Apesar de sofrer oposição de esquemas poderosos, o reino de Deus cresce e produz resultados, nem sempre visíveis aos olhos humanos.

Todos somos convidados a “plantar o reino de Deus”; plantamos com nosso exemplo, nossa palavra acertada, nossa prática de amor, justiça e solidariedade.  

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar