O Domingo
16 de setembro: 24º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





QUAL JESUS SEGUIMOS?

A página evangélica de hoje é vista como o ponto central do Evangelho de Marcos, marcando o início de sua segunda parte. O texto pode ser desmembrado em três aspectos interligados: a confissão de fé em Jesus como Messias; o primeiro anúncio da paixão, morte e ressurreição; o convite para seguir Jesus no caminho da cruz.

O Mestre quer saber como está sendo aceito: “O que dizem de mim?”  Essa pergunta continua válida também para os nossos dias. Sem conhecer bem uma pessoa, dificilmente a seguimos com fidelidade; por isso é necessário conhecer Jesus em profundidade para segui-lo fielmente.

Depois de relatarem a opinião do povo, Pedro, em nome do grupo, responde: “Tu és o Messias”. A essa resposta segue o primeiro anúncio da paixão e condenação. O Mestre aproveita a oportunidade para dissipar qualquer mal-entendido a seu respeito. Diferentemente do que seus discípulos acreditavam, ele não é um Messias triunfalista, mas o Messias da cruz. Não podemos inventar “outro Cristo”, mais suave, para segui-lo.

Somente após dar nossa adesão consciente a Jesus e saber que ele não nos garante um “mar de rosas” é que será possível segui-lo até a cruz. Assumir a própria cruz é ser fiel ao Mestre, promovendo a vida, sobretudo dos mais fragilizados, e renunciando a tudo o que não condiz com seu projeto.

Podemos atribuir muitos e autênticos títulos a Jesus, mas a coerência pede que sigamos o que esses títulos representam. Se dizemos que “Jesus é Deus”, cabe honrá-lo diariamente com uma prática e um comportamento diferenciados que sejam um culto à sua divindade. Se o proclamamos como “Senhor”, é necessário estar sempre dispostos a acolher seu senhorio sobre nossa vida, obedecendo-lhe como aquele que a dirige e a orienta. Se confessamos que “Jesus é o Cristo”, a consequência deve ser nossa disposição de construir um mundo mais humano, fraterno, solidário e justo, como ele, o Ungido de Deus, propôs ao caminhar entre nós.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar