O Domingo
15 de setembro: 24º do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





MOTIVOS DE FESTA E ALEGRIA

Podemos dizer que o capítulo 15 é o coração do Evangelho de Lucas. Nesse capítulo, Jesus revela a ternura e o amor misericordioso do Pai para com os perdidos na vida. São três parábolas que o evangelista conta em vista do fato de que os fariseus e os mestres da lei criticavam Jesus por acolher os pecadores e comer com eles. As três parábolas terminam evidenciando a alegria da pessoa por ter encontrado o que procurava. O encontro do que estava perdido gera felicidade e é motivo de comemoração.

Deixando de lado as duas primeiras, entramos na terceira parábola (presente no evangelho mais longo da liturgia), a do filho que se transviou. Nesta, há três personagens: o pai, o filho mais velho e o filho mais novo. Este decide tomar seu próprio rumo, abandona a família e vai se aventurar pelo mundo – atitude bastante comum entre os jovens. Com o tempo, sua decisão lhe causa transtorno e arrependimento e ele decide voltar.

O filho mais velho, bom trabalhador e sempre fiel ao pai, continua sob o mesmo teto. Voltando do trabalho, depara-se com festa na casa. Descobrindo o motivo, decide não participar e se recusa a entrar.

Sempre respeitoso, o pai não privou o mais novo da liberdade de levar adiante sua aventura; além disso, deixou abertas as portas para que ele voltasse. Quando isso ocorre, vai ao seu encontro e prepara grande festa. Depois, busca o mais velho, que resiste a participar. O pai se alegra pela volta do filho mais novo e se preocupa com a atitude do mais velho.

Cada um de nós pode alimentar características do filho mais novo ou do mais velho. Muitas vezes nos desviamos dos planos de Deus e caímos na infelicidade, mas tomamos consciência e nos reerguemos. Outras vezes nos consideramos “gente de bem”, cumpridores fiéis das normas, mas nos mostramos intolerantes e incapazes de reconhecer nossos irmãos e ser solidários com eles.

A acolhida amorosa e gratuita de Deus é fonte de alegria. Dessa experiência gratuita do amor divino nasce o sentido da festa e da alegria. O Pai deseja uma vida de alegria e festa a todos os seus filhos e filhas.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar