O Domingo
15 de julho: 15º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





MISSIONÁRIOS DO REINO

Embora seja rejeitado por alguns grupos, Jesus continua seu ministério e convida outros a segui-lo e assumir a mesma missão: levar a boa notícia aos que mais precisam. O texto de hoje, que inicia nova seção no Evangelho de Marcos, apresenta-nos o envio dos doze apóstolos e as recomendações do Mestre.

Jesus envia os doze dois a dois, realçando o caráter comunitário da missão e mostrando que, para o testemunho, é necessária mais de uma pessoa. Eles recebem autoridade ou poder sobre o que causa o mal ao ser humano. Têm a autoridade para libertá-lo de tudo o que o aliena ou oprime.

O Mestre recomenda que assumam o espírito evangélico de pobreza, levando só o indispensável para as viagens: um cajado, sandálias e a roupa do corpo. Eram esses os pertences dos primeiros evangelizadores itinerantes. Mesmo que vivamos num tempo diferente, o espírito de desprendimento e de não acúmulo no seguimento de Jesus continua válido.

O desprendimento é sinal de liberdade, de gratuidade e, ao mesmo tempo, de confiança em Deus e na solidariedade das pessoas. A preocupação excessiva com segurança e bem-estar e a busca do prestígio podem nos afastar dos pobres.

Os doze são instruídos a acolher a generosidade alheia e se contentarem com a hospedagem que lhes é oferecida, sem fazer muitas exigências. A urgência da missão não admite parada, e, quando não forem acolhidos, devem sacudir até o pó das sandálias e partir para outros lugares.

Após as recomendações, eles saem para evangelizar e alcançam os mesmos resultados do Mestre. A comunidade é chamada a seguir as orientações de Jesus e ficar firme na missão. Numa sociedade que estimula o sucesso e o levar vantagem sobre os outros, nem sempre é fácil aceitar “viver em minoria”.

Muitos talvez tenham saudades do tempo em que a Igreja, desfrutando de poder hegemônico e influência imediata, detinha o papel de “guia absoluto” da sociedade. O papa Francisco insiste muito para sermos “uma Igreja pobre e para os pobres”. Jesus aposta no serviço simples e humilde daqueles que procuram construir uma sociedade melhor para todos.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar