O Domingo
14 de fevereiro: Quarta-feira de Cinzas

Indicar a um amigo:





PRÁTICA DA JUSTIÇA PARA A SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA

A CF-2018 traz como tema: “Fraternidade e superação da violência” e como lema: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

Nesta Quarta-feira de Cinzas, abertura da Campanha da Fraternidade, o Evangelho de Mateus nos alerta para outra superação: a da justiça dos hipócritas na relação com as pessoas, com Deus e com nós mesmos. “Ficai atentos para não praticar a vossa justiça só… para serem elogiados”. A prática da justiça deve permear a vida das pessoas no seu cotidiano. Precisa ser incorporada como modo de viver que agrada aos outros, a Deus e à própria pessoa. O jejum é proposto como condição para superação de atitudes hipócritas e egoísticas. Jesus nos orienta sobre como proceder: “Quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os homens não vejam que tu estás jejuando…” A superação da violência passa pelo processo de privar-se de algo imediato e necessário, para apontar o caminho de um novo projeto de justiça.

Jejuar – neste tempo de injustiças institucionalizadas, caracterizado pela perda de direitos sociais, desemprego, inseguranças que geram medo, num processo permanente de produção e reprodução de desigualdades – significa lutar para garantir uma mudança no funcionamento das instituições e do papel do Estado.

No texto-base da CF, encontramos os dados do Mapa da Violência 2016, que mostram a experiência cotidiana da violência no Brasil: cerca de cinco pessoas são assassinadas por armas de fogo a cada hora, somando 123 pessoas assassinadas a cada dia. No ano de 2015, houve 43 mil assassinatos com armas de fogo. Contam-se mais homicídios em nosso país do que nas guerras que estão acontecendo no mundo! Esta situação está relacionada com um sistema econômico excludente, capitalista, que mantém sua centralidade no lucro e não no ser humano.

Que jejum se faz necessário para a superação da violência de um sistema que mata cada dia mais pessoas e destrói a natureza, criação de Deus para todos e não apenas para alguns?

Izalene Tiene

Leiga missionária na Amazônia


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar