O Domingo
12 de agosto: 19º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





O ALIMENTO DA VIDA PLENA

Neste domingo continuamos a contemplar o capítulo 6 do Evangelho de João. A partir do relato da multiplicação dos pães, o evangelista faz longa reflexão teológica sobre o “alimento da vida”.

Os adversários não se conformam com a afirmação de Jesus: “Eu sou o pão que desceu do céu” e questionam: “Afinal, que pretende ser esse filho de carpinteiro, nosso conterrâneo?” Não aceitam a encarnação de Jesus, Filho de Deus, nascido de uma jovem da periferia. Para eles, é absurdo que Deus tenha assumido a carne humana. A exemplo do povo que, caminhando no deserto, murmura contra Moisés, as autoridades judaicas murmuram contra as declarações do Mestre.

O alimento que Jesus nos proporciona promove a vida: “Quem comer desse pão viverá para sempre”. O Mestre nos alimenta com sua mensagem, com suas palavras, com a Eucaristia, com seus gestos e ações. Tudo o que ele fez foi em benefício da vida, principalmente daqueles que estavam em situação mais fragilizada. Sua prática é constante doação em favor dos outros.

Quem come do pão que é Jesus, isto é, quem se alimenta de seu amor, de suas palavras e de suas propostas, não leva uma existência fundada na mentira, na hipocrisia, na ilusão, na falsidade, na mediocridade, mas vive de verdade, tem vida plena, como diz o evangelho. Muitas pessoas tes-
temunham essa vivência com sinceridade, enchendo-a de significado, e acabam por dar sentido também à nossa, ensinando-nos o caminho da vida plena, daquilo que é essencial.

Começamos a nos alimentar do pão da vida quando damos a Cristo nossa adesão de fé e nos dispomos a assimilar seu exemplo e mensagem; aí então o pão consagrado na missa poderá ser, de fato, alimento e força para nossa caminhada, fazendo-nos entrar em comunhão com o corpo de Cristo. Comungamos do pão eucarístico para nos tornarmos, em Cristo e com os irmãos e irmãs, um só corpo e um só espírito.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar