O Domingo
11 de março: 4º Domingo da Quaresma

Indicar a um amigo:





JESUS REVELA O AMOR DE DEUS

O evangelho deste domingo faz parte do diálogo de Jesus com Nicodemos. Inicia-se com a menção à serpente que Moisés levantou no deserto para salvar as pessoas mordidas por alguma cobra. Assim também, diz, é necessário que o Filho do homem seja levantado, para que todos os que creem nele tenham vida plena. Jesus é apresentado como a fonte de vida e norma de conduta para o ser humano.

O maior gesto de amor do Pai foi enviar seu Filho ao mundo para que todos tenhamos vida nele. Ele não veio para condenar, mas para salvar. Para isso nos é necessário olhar para a cruz e crer no Crucificado, presença visível do amor de Deus. Crer em Jesus é mais do que um ato intelectual: é aceitar com fé a mensagem que brota da cruz.

Por causa de sua opção em favor da humanidade mais fragilizada, Jesus acabou morrendo na cruz como um marginal ou criminoso. Não poupou sua vida; ao contrário, doou-a para que aprendêssemos a não nos fecharmos em nosso egoísmo, buscando salvar a nós próprios, mas soubéssemos olhar para o sofrimento de tantos irmãos e irmãs, solidarizando-nos com eles – especialmente com os que habitam as “periferias existenciais”. Somente com pessoas generosas, capazes de amar até a doação da própria vida, pode-se construir uma nova sociedade.

Jesus não veio para julgar, muito menos para condenar a humanidade. Ao contrário, seu exemplo nos mostra como viver para que todos tenham vida em plenitude. São as próprias pessoas que tomam uma posição: ir com Jesus a favor da vida, ou contra Jesus a favor da morte. Ele apenas provoca a tomada de posição, para que cada um faça sua escolha.

Jesus é a luz vinda ao mundo que aponta e ilumina o caminho a seguir. O comportamento do ser humano é revelado por essa luz. Ela é a norma e o que põe às claras a bondade ou a maldade da pessoa. É sinal de vida em oposição à treva, que é sinal de morte. A treva é a ideologia opressora que sufoca a vida humana, e muitos optam por ela. Escolhamos a luz!

Pe. Nilo Luza, ssp

 


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar