O Domingo
11 de agosto: 19º do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





O TESOURO DO REINO 

O evangelho deste dia nos faz pensar sobre o que significa ajuntar um tesouro no céu, fortalecendo nossa fé no Deus que deseja dar-nos seu Reino.

Se, diante da violência, da tragédia, da doença e da morte, o medo paralisa, a confiança em Deus faz ir além, pois ter fé é dar espaço para que Deus aja em nós e nos outros.

Esse Reino que Deus quer nos dar, nós o vamos descobrindo já aqui, à medida que decidimos agir de acordo com aquilo que o Mestre ensinou; à medida que decidimos ajuntar um tesouro que não é dinheiro e não são bens materiais, mas ações de bondade que levamos para a eternidade.

As palavras de Jesus nos levam a perguntar onde estará hoje nosso coração. O coração, para o povo da Bíblia, representa o interior mais profundo, onde sentimos e, sobretudo, decidimos. Onde está o nosso coração? Será que, com as decisões que tomamos no dia a dia, estamos juntando um tesouro para o Reino? Ou é simplesmente para este mundo?

O tesouro de que Jesus fala é o próprio Reino de Deus acontecendo em nós quando agimos com fidelidade, na esperança do retorno definitivo do Senhor. Não podemos saber quando será nosso encontro definitivo com Deus, mas só com a lâmpada acesa da fé, e preparados em atitude de serviço (rins cingidos), poderemos abrir-lhe sem medo a porta de nossa existência ao chegar esse momento.

E então o Senhor entrará e transformará nossa vida num eterno banquete, que ele mesmo servirá. Deus resgatará então nossos gestos de serviço, pequenos que sejam, e, mostrando-se mais uma vez Servidor, nos tornará plenos com sua graça.

Até lá, o desafio é continuar vencendo o medo que nos deixa paralisados diante da violência e do mal no mundo. Até lá, o desafio é permanecer vigilantes, em atitude de serviço e doação da vida aos menores e mais necessitados. Felizes seremos, então, pois o Senhor terá encontrado o tesouro do seu Reino em nosso próprio coração.

Pe. Paulo Bazaglia, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar