O Domingo
04 de agosto: 18º do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





REPARTIR A HERANÇA

Continuando a caminhada para Jerusalém, o Mestre aproveita para “catequizar” seus seguidores. No texto que ouvimos, Jesus responde à solicitação de que ajudasse na divisão de uma herança, deixando claro que sua missão não consiste em “dividir ou julgar os bens”. Aliás, briga de filhos motivada por herança é muito comum também nos dias atuais! A seguir, ele chama a atenção sobre o perigo da ganância de bens materiais. Para ilustrar isso, conta a parábola do homem ganancioso.

Os bens materiais são necessários para viver com dignidade, mas não garantem prolongamento da vida nem livram da morte, como nos mostra a parábola. A preocupação com o acúmulo da riqueza e dos bens terrenos com frequência endurece o coração humano, fazendo que a pessoa se feche em si mesma e se torne insensível ao necessitado. A riqueza não partilhada, em geral, acaba gerando divisão entre os (poucos) que têm em excesso e os demais.

O acúmulo e o consumismo produzem tremenda injustiça: o que sobra para uns falta aos outros, e o consumo excessivo traz consequências sérias às futuras gerações. Por outro lado, o consumismo mostra a caducidade das coisas. O que compramos hoje, amanhã não serve mais. O que está na moda hoje, amanhã estará ultrapassado.

A falta de partilha é o grande dilema da sociedade moderna: poucos se fartando e se deleitando, muitos sofrendo na fome e na miséria. O homem da parábola pensa no que fazer com a colheita abundante. A decisão egoísta o leva a construir grande armazém, para guardá-la somente para si. A bênção da grande colheita acaba se tornando uma desgraça para esse homem – por não ter sido partilhada. Essa parábola nos ensina que não é pessoa sábia quem só pensa no seu bem-estar e ignora a realidade de tantos empobrecidos.

O evangelho deste dia nos convida a viver de forma digna, mas austera, simples e despojada, e a saber compartilhar o nosso bem-estar. Quem vive simplesmente pensando em acumular e desfrutar seus bens acaba esquecendo sua condição de filho de Deus, que é Pai de todos.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar