O Domingo – Palavra
9 de fevereiro de 2020: 5º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





SAL DA TERRA E LUZ DO MUNDO

Elemento natural, o sal é conhecido em todas as culturas como o que dá sabor aos alimentos e os preserva da decomposição. Ao comparar seus discípulos com o sal, Jesus não usa a forma condicional: vocês deveriam ser o sal… Sem rodeios, afirma: “Vocês são o sal da terra”. Este breve texto é continuação das bem-aventuranças, a grande carta que apresenta o programa de vida para os discípulos do
Reino.

Para quem é cristão ou cristã, não há outro caminho. É preciso ser sal da terra. Ser sal é humanizar as relações interpessoais e sociais; é conservar o entusiasmo no seguimento de Jesus; é resistir aos ataques inimigos.

O sal é discreto: dissolvido na água, não se vê, apenas se lhe sente o gosto. Do mesmo modo, o cristão não é espalhafatoso, agitado. Não impõe a mensagem cristã, apenas a propõe. Não força ninguém a seguir os passos do Mestre, pois se trata de decisão pessoal, livre, repleta de amor generoso: “Quem quiser me seguir…”. Ser cristão no mundo é manter uma presença modesta, mas eficaz. É ser otimista, mesmo no meio de muitas injustiças; é alimentar a esperança, não obstante as dores do nosso povo. Ser cristão é ser fonte de energia interior, ligada na grande corrente superior que é o próprio Deus. Energia capaz de dinamizar a sociedade em vista de uma vida melhor e abundante, como Deus quer.

Outra imagem de fácil compreensão é a luz. Luz do mundo é Jesus: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12). Luz implica ausência de trevas, inexistência de pecado. Luz indica ambiente inundado de calor humano; aponta para atitudes impregnadas de honestidade. Luz é ocasião de alegria, festa e boa convivência.

Se formos luz do mundo, os outros poderão se aproximar de nós com a garantia de que serão bem acolhidos e tratados com respeito. O que se espera da luz é que ilumine todo ser humano. O papa Francisco afirma: “Cada cristão e cada comunidade há de discernir qual é o caminho que o Senhor lhe pede, mas todos somos convidados a aceitar este apelo: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do evangelho” (A Alegria do Evangelho, n. 20).

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar