O Domingo – Palavra
6 de maio: 6º Domingo da Páscoa

Indicar a um amigo:





PERMANECEI NO MEU AMOR

A vinda de Jesus ao mundo é fruto do amor do Pai pela humanidade. Por meio dele nos é dada a graça de também ser chamados de filhos e filhas de Deus. Se havia alguma dúvida de que Deus amava o ser humano, o Filho, em cumprimento da vontade do Pai, materializa esse amor em gestos concretos de doação. “Como o Pai me amou, assim também eu vos amei” (Jo 15,9). De fato, Jesus é a expressão plena da promessa e do amor de Deus, que continuamente vem em resgate da vida dos homens e mulheres que se deixam conduzir por seus ensinamentos.

O convite de Jesus é para permanecermos no seu amor, e a forma que ele propõe para essa permanência consiste na observância dos seus mandamentos, do mesmo modo que ele observa e cumpre a vontade do Pai, o qual deseja que seus filhos e filhas possam participar dessa alegria, ao permanecerem no seu amor.

Jesus concentra todos os mandamentos na simplicidade do amor. “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (Jo 15,11). Com efeito, quando exercitamos nossa capacidade de amar, todos os demais preceitos são postos em prática automaticamente. Em contrapartida, quando nos esquecemos do amor, o caos se estabelece de forma avassaladora, e o bem que poderíamos ter feito se transforma em mal espalhado pelo mundo.

Pôr em prática o mandamento do amor é necessidade urgente. Chega a ser até uma contradição um país como o Brasil – cuja maioria populacional se diz cristã – apresentar altos índices de violência, com as pessoas saindo às ruas com medo e vivendo em suas casas trancadas, por verem no outro uma ameaça. Em tal conjuntura, a prática do mandamento do amor vai ficando cada vez mais distante de nós, e o desejo de Jesus de vivermos como amigos uns dos outros vai se tornando cada vez mais difícil de se realizar.

Tudo isso mostra que ser cristão, para muito além de rótulo, é um estilo de vida, um modo de conduzir a existência, pautado pelos ensinamentos de Jesus. Não basta se dizer cristão; é preciso viver como tal, especialmente amando uns aos outros, pois esse foi o principal mandamento deixado por Jesus e, se desejamos seguir os passos seus, não podemos esquecer o que ele nos ensinou.

Se almejamos viver verdadeiramente os ensinamentos do Senhor, lembremos que o amor deve reger nossas atitudes, nosso modo de ser e de estar no mundo, levando-nos a gerar frutos de justiça, de paz e de amor.

Pe. José Erivaldo Dantas, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar