O Domingo – Palavra
4 de agosto: 18º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





“VEM E SEGUE-ME!” (Mt 4,19)

Este mês nos aprofunda ainda mais nas diversas vocações (ministério ordenado, matrimônio e vida em família, vida consagrada e ministérios leigos). É o mês vocacional, que lembra o chamado do Senhor a cada cristão: “Vem e segue-me!” Esse chamado à vida, no seguimento de Cristo, forma as diversas vocações na Igreja. Como atender a esse apelo tão nobre, mas também tão exigente? É necessário compreender que Deus, Pai amoroso, nos convoca, mas nos deixa inteiramente livres para responder “sim” ou “não”.

Além das vocações específicas, há, porém, uma vocação comum a todos os batizados. Na vida cristã, todos são vocacionados à busca da santidade, em qualquer estado de vida. Já no Antigo Testamento, o Senhor advertia: “Sede santos, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo” (Lv 19,2).

Tal convocação percorreu os séculos. Pedro a transcreve na sua carta (cf. 1Pd 1,16), e ela chega até os nossos dias, dirigindo-se a cada um de nós com a força e urgência da Palavra revelada.

Traduz-se, no nosso tempo, pelo texto da Constituição Dogmática Lumen Gentium do Concílio Vaticano II: “Nos vários gêneros e ocupações da vida, é sempre a mesma a santidade que é cultivada por aqueles que são conduzidos pelo Espírito de Deus e, obedientes à voz do Pai, adorando em espírito e verdade a Deus Pai, seguem a Cristo pobre, humilde, e levando a cruz, a fim de merecerem ser participantes da Sua glória. Cada um, segundo os próprios dons e funções, deve progredir sem desfalecimentos pelo caminho da fé viva, que estimula a esperança e que atua pela caridade” (LG 41).

Seja qual for nossa vocação, ela deve conduzir-nos à santidade e, consequentemente, levar-nos a ser testemunhas de Jesus Cristo nestes tempos de sociedade líquida, nesta mudança de época. No entanto, não poderíamos realizar tão grandioso projeto sem a graça de Deus. São Paulo testemunha o que lhe disse o Senhor: “Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força” (2Cor 12,9a).

Por conseguinte, invoquemos a Deus com confiança e dele esperemos o auxílio de que precisamos para cumprir seu desígnio de amor para nós.

D. Orani João Tempesta, O. Cist.

Cardeal Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar