O Domingo – Palavra
26 de janeiro de 2020: 3º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





O POVO QUE ANDAVA NA ESCURIDÃO VIU UMA GRANDE LUZ

Deus caminha com o seu povo e o motiva a permanecer firme no caminho – não como povo oprimido, mas como povo livre. Todas as pessoas aspiram a viver alegres e felizes. Para tanto, a liberdade é importante. Deus, em sua misericórdia e compaixão, assume a iniciativa de quebrar os instrumentos da tortura e da opressão, sustentando a esperança. Para realizar esse desígnio, Jesus veio anunciar ao povo oprimido o Reino da liberdade e da vida plena para todos.

A primeira leitura, do livro do profeta Isaías, menciona duas tribos (Zabulon e Neftali) cujos territórios eram dominados por interesses econômicos. O povo era pisado e lesado por aqueles que não promoviam vida plena para todos, mas eram gestores da exploração e da marginalização. Testemunha desse total abandono, Isaías descreve a situação como trevas e entrevê um futuro diferente. Para esse povo oprimido, que andava na escuridão, há a promessa de uma grande luz. A luz é símbolo da intervenção de Deus, que socorre os oprimidos, devolvendo-lhes a liberdade e a dignidade humana.

  Zabulon e Neftali representam também as situações do nosso tempo que precisam ser iluminadas pela luz de Cristo, sobretudo as que são dominadas pela violência, pelas drogas, pela corrupção, pelos destruidores da “casa comum”… A segunda leitura, da primeira carta aos Coríntios, também nos recorda a urgência de anunciar essa luz, que dissipa as trevas provocadas por aqueles que querem promover discórdia nas comunidades. O apóstolo Paulo, percebendo que a comunidade de Corinto estava se perdendo em conflitos, exorta os membros a viver na unidade.

Trata-se da unidade que nasce não dos evangelizadores, mas de Cristo, cabeça da comunidade. Paulo conscientiza a comunidade de que – embora ela seja formada por muitos membros, com distintas opiniões – é preciso manter a unidade em torno do essencial: Cristo e seu evangelho. O projeto de Jesus deve ser acolhido com entusiasmo, porque ele surge como o portador de esperança para o povo de Deus. Ele é a grande luz que veio para iluminar as nações.

Suas palavras e ações inauguram o novo tempo: o tempo da colaboração, do compromisso, do sentido de pertença. É nesse contexto que Jesus inicia sua missão e lança a Pedro, André, Tiago e João o desafio: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. O convite que Jesus fez aos quatro primeiros discípulos se estende a cada um de nós; mas, para compreendermos esse chamado, é preciso aceitá-lo como grande luz que anima e fortalece o nosso SIM.

Pe. Roni Hernandes, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar