O Domingo – Palavra
2 de novembro: Finados

Indicar a um amigo:





SAUDADE

A celebração dos Fiéis Defuntos geralmente provoca em nós um sentimento de tristeza, por nos trazer à memória pessoas significativas – familiares e amigos – que já passaram por nossa vida. Cada uma com a sua marca, com a sua história. Com algumas dessas pessoas tivemos a oportunidade de conviver durante longos anos; outras passaram por nós como um cometa, rapidamente, sem dar-nos o tempo necessário para dizer-lhes tudo que gostaríamos de dizer, restando-nos apenas a saudade.

Contudo, ainda que a morte seja uma experiência de dor e de sofrimento para quem fica, não podemos esquecer que, para nós, cristãos, a vida não se encerra na morte, porque “o cristão que morre em Cristo Jesus deixa este corpo para ir morar junto do Senhor” (CIC 1.681). Se morremos com Cristo, acreditamos que também viveremos com ele (cf. Rm 6,8) na vida eterna – conforme rezamos na profissão de fé.

Embora, diante da morte, nunca estejamos totalmente prontos – seja para acompanhar a páscoa de pessoas próximas, seja para experimentar a nossa própria –, cabe-nos tê-la presente em nosso horizonte de existência. Nesse sentido, o evangelho de hoje, que descreve o julgamento realizado por Jesus no fim dos tempos, é para nós um convite a viver a solidariedade para com os necessitados, sem sermos insensíveis à sua situação, pois será esse o critério de ingresso no reino de Deus. É reconhecendo a face de Jesus em cada pessoa necessitada que nos mostramos aptos a acolher o dom da vida eterna.

Aproveitemos bem o dia de hoje para rezar pelos falecidos, sem perder jamais a esperança de que, um dia, nos encontraremos todos na glória com Cristo, que une os mortos e os vivos no seu mistério de amor. Mas, enquanto aqui vivemos, que nunca falte o esforço do perdão e do amor ao próximo, para que, sem perder tempo com desavenças, busquemos criar laços verdadeiros de amizade e de fraternidade. Não deixemos para amanhã o que podemos fazer hoje. Não permitamos que a correria do dia a dia nos impeça de enxergar os dons de Deus presentes nas pessoas que estão ao nosso lado, para a mútua edificação.

Pe. José Erivaldo Dantas, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar