O Domingo – Palavra
2 de fevereiro de 2020: Apresentação do Senhor

Indicar a um amigo:





JESUS: LUZ DA HUMANIDADE

Seguindo a lei mosaica, José e Maria levam Jesus a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor no templo e, ao mesmo tempo, oferecer o sacrifício de purificação da mãe. A oferta de dois pombinhos representa o que os pobres podiam oferecer quando nascia o primogênito. Com isso, vemos que a Família de Nazaré não foge de seus compromissos religiosos e civis – como se esperava de toda família judia fiel às leis de Deus.

No templo encontram Simeão, que entoa um hino de louvor pelo cumprimento da promessa e proclama a futura sorte do menino. A profetisa Ana, por sua vez, também louva a Deus e anuncia o menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.

Apresentando Simeão como homem movido pelo Espírito, justo e piedoso, o evangelho dá a conhecer sua esperança em viver esse momento. O ancião reconhece que o menino marcará a história da humanidade, conferindo-lhe novo sentido, e vê nele a luz que ilumina os povos. Assim como clareou a mente de Simeão, o Espírito ilumina nossa mente para identificarmos e acolhermos o Messias no menino frágil de Nazaré. Sem o Espírito, não é possível discernir a presença de Deus nessa criança.

Ana, profetisa e mulher piedosa, alegra-se ao encontrar o menino recém-nascido e se torna grande mensageira ao falar a todos sobre ele. As mulheres normalmente têm maior sensibilidade aos acontecimentos pelos quais Deus se revela à humanidade. A maior parte delas está sempre pronta a colaborar com o projeto divino, servindo a comunidade.

Simeão e Ana, modelos dos que se alegram com a chegada do Messias, deixam-se mover pelo Espírito e louvam a Deus pelo que seus olhos veem. Representantes das esperanças dos que aguardam a consolação, ambos revelam a missão de Jesus. Essas personagens são exemplo para todos os que esperam a vinda do Senhor. Ele se manifesta continuamente à humanidade, mas é percebido apenas por quem se abre à ação do Espírito.

A Apresentação do Senhor, conhecida também como festa das luzes, teve origem no Oriente e se estendeu ao Ocidente no 6º século. Essa festa encerra as celebrações natalinas e abre o caminho para a Páscoa.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar