O Domingo – Palavra
19 de agosto: Assunção de Nossa Senhora

Indicar a um amigo:





A BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA

“Maria, a jovem de Nazaré, tendo recebido o anúncio do anjo, parte depressa para ir ter com Isabel, nos últimos meses da sua gravidez prodigiosa. Ao chegar à sua casa, Maria ouve dos seus lábios as palavras que compõem a oração da ‘Ave-Maria’: ‘Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre’ (Lc 1,42). Com efeito, o maior dom que Maria oferece a Isabel – e ao mundo inteiro – é Jesus, que já vive nela.

Na casa de Isabel e do seu marido Zacarias, onde antes reinava a tristeza pela falta de filhos, agora há a alegria da chegada de um bebê: um menino que se tornará o grande João Batista, precursor do Messias. Esta alegria plena exprime-se com a voz de Maria na oração maravilhosa que o Evangelho de Lucas nos transmitiu e que, desde a primeira palavra latina, se chama Magnificat.

O Magnificat canta o Deus misericordioso e fiel, que cumpre o seu desígnio de salvação com os pequenos e os pobres, com os que têm fé nele, que confiam na sua Palavra, como Maria. Eis a exclamação de Isabel: ‘Feliz daquela que acreditou’ (Lc 1,45). Naquela casa, a vinda de Jesus por meio de Maria criou um clima não só de alegria e de comunhão fraterna, mas também de fé que leva à esperança, à oração e ao louvor.

Gostaríamos que tudo isso acontecesse também hoje nas nossas casas. Celebrando a Assunção de Maria santíssima ao céu, peçamos que ela, mais uma vez, traga a nós, às nossas famílias e às nossas comunidades aquele dom imenso, única graça que devemos pedir sempre, em primeiro lugar e acima das outras graças: a graça que é Jesus Cristo!

Dando-nos Jesus, Nossa Senhora oferece-nos também uma alegria nova, plena de significado; concede-nos uma nova capacidade de atravessar com fé os momentos mais dolorosos e difíceis; doa-nos a capacidade de misericórdia, para nos perdoar, nos compreender, nos apoiar reciprocamente.

Maria é modelo de virtude e fé. Ao contemplá-la hoje elevada ao céu, ao cumprimento final do seu itinerário terreno, demos-lhe graças porque sempre nos precede na peregrinação da vida e da fé. E peçamos-lhe que nos guarde e nos apoie; que possamos ter uma fé firme, jubilosa e misericordiosa; que nos ajude a ser santos, para nos encontrar com ela, um dia, no paraíso.”

(Texto adaptado do Ângelus de 15 de agosto de 2017.)

Papa Francisco


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar