O Domingo – Palavra
13 de outubro: 28º domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





GRATIDÃO

O evangelho de hoje, em seu conjunto, mais do que sobre a cura dos dez doentes de pele, quer fazer-nos refletir sobre a gratidão – virtude que nos faz reconhecer os gestos de bondade e generosidade realizados em nosso favor. Os dez homens gritam em alta voz: “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!” Jesus, em atenção ao clamor desses enfermos, concede-lhes a cura do corpo; e eles, caminhando, percebem terem sido curados. Certamente, ficaram felizes ao verem que já não carregavam no corpo as marcas da doença. Entretanto, dos dez curados, apenas um retornou para agradecer. Glorificando a Deus, atirou-se aos pés de Jesus, em agradecimento por tamanha generosidade.

Com essa narrativa, o evangelho quer nutrir em nós um espírito de gratidão por todo o bem que Deus fez e faz em nossa vida. Trata-se de gesto que só quem se abre à graça do Senhor pode manifestar, exprimindo o reconhecimento de que não somos autossuficientes, não vivemos por nós mesmos, mas sustentados pela graça divina e pelo auxílio dos irmãos e irmãs. Como dizia o poeta: “Nenhum homem é uma ilha”, porque cada um de nós é parte de um todo, que se concretiza em Deus. Quem percebe isso, torna-se agradecido!

O fato de apenas um dos curados ter se mostrado agradecido faz-nos recordar o que são Pio de Pietrelcina dizia: “Somos sempre rápidos para pedir e lentos para agradecer”. Com efeito, pedir é muito mais fácil. E, cá para nós, sempre há algo de que nos sentimos necessitados. Contudo, o que Jesus espera é que, assim como somos rápidos para suplicar benefícios para nós ou para outros, tenhamos a mesma prontidão para nos demonstrarmos gratos. E, é claro, não precisamos que Deus realize grandes coisas por nós para lhe agradecer, uma vez que a vida em si já é um bom motivo para louvarmos e darmos graças a Deus.

Gratidão é muito mais que um simples “obrigado” dito por cortesia; é um estado de espírito que nos põe em profunda relação com o outro, seja com Deus, seja com os irmãos e irmãs. É na gratidão que se manifesta a beleza da reciprocidade, que nos faz sair de nós mesmos para reconhecer no outro sua participação na nossa vida. Por isso, somos convidados a nunca deixar de agradecer a todas aquelas pessoas que um dia, prontamente, nos estenderam a mão.

Pe. José Erivaldo Dantas, ssp


O Domingo – Palavra

O objetivo deste periódico é celebrar a presença de Deus na caminhada do povo e servir às comunidades eclesiais na preparação e realização da Liturgia da Palavra. Ele contém as leituras litúrgicas de cada domingo, proposta de reflexão, cantos do Hinário litúrgico da CNBB e um artigo que trata da liturgia do dia ou de algum acontecimento eclesial.

Assinar