O Domingo
30 de setembro: 26º Domingo do Tempo Comum

Indicar a um amigo:





TODOS PODEM FAZER O BEM

No caminho para Jerusalém, Jesus continua sua catequese para os apóstolos e seguidores mediante alguns ensinamentos práticos. Na página de hoje, são apresentadas duas orientações importantes para a vivência cristã: ninguém tem o monopólio do bem; o escândalo deve ser evitado.

Em nome de todos os discípulos, João informa Jesus de que proibiram alguém de fazer o bem por este não ser parte do grupo. O Mestre intervém e mostra que ninguém tem o monopólio de sua mensagem; os cristãos são chamados a ser tolerantes e compreensivos, reconhecendo que não são os únicos que dão testemunho do evangelho. Oxalá, diz Moisés na primeira leitura, todo povo fosse profeta.

Os que fazem o bem não podem ser vistos como adversários ou inimigos, mas como irmãos e parceiros, ainda que não pertençam ao nosso grupo religioso. Qualquer gesto de solidariedade tem seu valor, venha de onde vier e por pequeno que seja – como um copo de água, um acolhimento, uma esmola…

Jesus chama a atenção para o perigo do escândalo. Escandalizar significa ser obstáculo na vida dos pequenos que creem. É como uma pedra que é colocada no caminho de alguém para que, tropeçando, a pessoa caia. Depois de ter ensinado que o bem pode vir de fora da comunidade, o Mestre alerta para o fato de que, do interior dela, podem vir maus exemplos e traições.

O evangelista fala de três membros que podem ser motivo de escândalo: a mão que concentra em si, quando deveria partilhar; o pé que leva ao mau caminho, quando deveria levar ao encontro do outro; o olho que vê o outro como objeto (de exploração), quando deveria vê-lo como parceiro e irmão. Cortar fora significa cortar pela raiz – ou seja, a causa do mal –, eliminar o obstáculo que impede a entrada no Reino.

A Igreja necessita estar aberta ao mundo, não se fechar em si mesma, mas reconhecer outras realidades edificantes na sociedade. Jesus rejeita as atitudes sectárias e excludentes e convida seus seguidores para a abertura e a inclusão. Libertar o ser humano daquilo que o escraviza e degrada é tarefa de toda a sociedade.

Pe. Nilo Luza, ssp


O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Assinar