Notícias

10/11/2020

Falece em Goiânia, aos 99 anos, Frei Carlos Josaphat

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





O ano de 2020 segue repleto de desafios e grandes perdas. Na noite desta segunda-feira (09/11), a Igreja se despediu do teólogo, pesquisador e escritor Frei Carlos Josaphat Pinto de Oliveira. O religioso faleceu por volta das 20h20, em Goiânia (GO), onde passou seus últimos anos de vida. Foi quase um centenário de vida, anos de muita sabedoria e inúmeras contribuições para a Igreja, para a sociedade e para formação do povo de Deus.

Nascido em 04 de novembro de 1921, em Abaeté (MG), Frei Carlos Josaphat ingressou no Seminário Menor de Diamantina (MG), com apenas 12 anos de idade. Em seguida, foi para a cidade Petrópolis (RJ), onde estudou Filosofia e Teologia.

Ordenado sacerdote em 08 de dezembro de 1945, foi professor no renomado Colégio do Caraça em Minas Gerais, onde estudaram Juscelino Kubitschek e o economista Roberto Campos. Frei Carlos ensinou no seminário de Mariana (MG) e, também, em Fortaleza e Recife. Já no estado Pernambucano conheceu e se tornou amigo do educador Paulo Freire.

Em julho de 1953, aos 32 anos, ingressou para a Ordem São Domingos. No mesmo ano, partiu para a França. Na ocasião, teve contato com os teólogos Karl Rahner (1904-1984), e os dominicanos Yves Congar e Marie-Dominique Chenu. Também conheceu os filósofos Jacques Maritain, Etienne Gilson e Emmanuel Mounier. Em seu retorno ao Brasil em 1963, em São Paulo, foi encarregado de orientar os estudos dos frades dominicanos.

Na década de 1960, padre Josaphat já era reconhecido por seu engajamento em questões da atualidade. Em 1963, fundou com o apoio da Juventude Universitária Católica (JUC) e da Ação Popular (AP), o semanário Brasil Urgente. A equipe formada pelo Frei em São Paulo, contava com a participação de renomados jornalistas, entre eles: Maria Olympia França, Josimar Melo, Roberto Freire e Ruy do Espírito Santo. O chamado semanário “Brasil Urgente”, de alcance nacional, defendia o lema “A verdade, custe o que custar; a justiça, doa a quem doer”. O Jornal  era apartidário e propagava politicamente as encíclicas sociais do papa João XXIII e defendia as reformas de base do governo João Goulart, em especial a reforma agrária.

O periódico circulou entre março de 1963 e 1° de abril de 1964, quando foi fechado pelo regime militar. Prevendo os rumos do Brasil, Frei Carlos Josaphat exilou-se na Europa. De acordo com texto publicado pelo escritor e frei dominicano Frei Betto, a manchete da última edição do tabloide, de número 55, prenunciava: “Fascistas preparam golpe contra Jango!”

Neste tempo de exílio, o dominicano participou da terceira sessão do Concílio Vaticano II, como um dos assessores teológicos e acompanhou a elaboração da Constituição Dogmática Lumen gentium.

Em retorno ao Brasil, no ano de 1994, passou a residir no convento dominicano associado à Paróquia Sagrada Família, na Região Episcopal Ipiranga. Além das atividades diárias, voltou a lecionar na Escola Dominicana de Teologia, no Instituto Teológico do Estado de São Paulo (ITESP) e em outras universidades do Brasil. Autor de “O Evangelho e a revolução social” (1962), também era estudioso da vida e obra de Santo Tomás de Aquino. Além da teologia, dominava a filosofia, psicologia, ética, economia política e comunicação social.

Pela PAULUS Editora publicou as obras em catálogo: Paradigma teológico de Tomás de Aquino e Tomás de Aquino e Paulo Freire – Pioneiros da inteligência, mestres geniais da educação nas viradas da história, entre outros títulos. Frei Carlos Josephat possui mais de 63 obras publicadas, entre as quais se destacam os estudos pioneiros sobre frei Bartolomeu de las Casas; a ética tomista; e a convergência entre Tomás de Aquino e Paulo Freire. Mesmo diante da idade avançada, atendia a inúmeros convites entre palestras e conferências. Na PAULUS teve diversas participações significativas, entre elas o Simpósio PAULUS de Teologia e Pastoral realizado em 2015.

Frei Carlos também foi professor de ética da comunicação no Instituto de Jornalismo e comunicação social Universidade de Friburgo, na Suíça, Doutor Honoris Causa  pela PUC Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 2014. Atualmente, ele residia no convento dominicano em Goiânia. O corpo será sepultado em sua terra natal, Abaeté (MG), como ele desejava.

A PAULUS Editora manifesta profundo pesar e condolências aos familiares, amigos e alunos.  Frei Carlos Josaphat deixa um enorme legado para a Igreja e para o país, homem otimista e de sorriso fácil, que Deus o receba em sua infinita misericórdia.