50 anos da morte do Bem-aventurado Padre Tiago Alberione | Paulus Editora

Notícias

26/11/2021

50 anos da morte do Bem-aventurado Padre Tiago Alberione

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





“O amor ao Evangelho é sinal e a característica das almas escolhidas por Deus para grandes obras.” (Bem-aventurado Tiago Alberione)

Nesta sexta-feira, 26 de novembro de 2021, a Igreja celebra o cinquentenário da morte do Bem-aventurado Padre Tiago Alberione, o apóstolo da comunicação e Fundador da Família Paulina. Padre Tiago Alberione (1884-1971) é considerado pela Igreja um dos mais carismáticos e inovadores apóstolos do século XX. Em virtude da data, uma extensa programação compôs as celebrações em memória do profeta da comunicação. Entre as principais atividades, nesta quinta-feira (25), a celebração foi marcada pelo encontro com o Santo Padre, no Vaticano. O Papa Francisco recebeu o superior-geral da Pia Sociedade São Paulo, o padre Valdir José de Castro, e uma delegação representando as várias Congregações religiosas, os Institutos de vida secular consagrada e agregações de leigos fundados por Alberione.

Para Francisco, este aniversário é para toda a Igreja, e especialmente para os paulinos, a ocasião propícia para fazer memória das “grandes coisas operadas pelo Espírito Santo no Beato Alberione e, através dele, para reafirmar a importância do seu carisma no contexto atual, na perspectiva da nova evangelização”. Segundo informações do Vatican News, Francisco também afirmou que a evolução tecnológica conduziu toda a comunidade eclesial a assumir os instrumentos modernos da comunicação como elementos da pastoral ordinária. O Papa ressaltou que a presença dos paulinos hoje é ainda mais necessária para contribuir com a experiência que acumularam nesta área. Em especial, Francisco pediu à família paulina uma ajuda no percurso rumo ao Sínodo sobre a sinodalidade. Além disso, fez um pedido: “Não esqueçam a oração. É o meio de comunicação mais importante. Trabalho e oração”E invocou a intercessão de Maria, Rainha dos Apóstolos, para acompanhar a família paulina pelas estradas do mundo como apóstolos e apóstolas do Evangelho.

(Encontro do Papa Francisco com o superior-geral da Pia Sociedade de São Paulo - Pe. Valdir José de Castro. Foto Vatican Media)

(Papa Francisco com o superior-geral da Pia Sociedade de São Paulo – Pe. Valdir José de Castro. Foto Vatican Media)

Já em São Paulo, no bairro da Vila Mariana, residem dois religiosos paulinos que tiveram o privilégio de conhecer e conviver com o Bem-aventurado Padre Tiago Alberione: padre Antonio Francisco da Silva, ssp e padre Vittorio Saraceno, ssp. De acordo com o padre Antonio, o “Primeiro Mestre”, como Alberione era chamado, trouxe muitas contribuições para a Igreja. “A Igreja declarou Bem-aventurado o Padre Tiago Alberione, isto é, reconheceu através do processo canônico que ele viveu de forma heroica as virtudes cristãs, ou seja, que viveu guiado pelo Evangelho e tudo fez para que o povo recebesse o Evangelho graças às possibilidades oferecidas pelas novas formas de comunicação”, afirma.

Segundo ele, Alberione viveu plenamente aquilo que desde jovem propunha como ideal e empenho de todo sacerdote, pastor ou apóstolo: ter como programa de vida a tríplice referência: Eu – Deus – Povo (Apontamentos de Teologia Pastoral, p. 1). Para ele, a este tríplice fundamento corresponde uma tríplice referência, ou seja, ciência – santidade – apostolado. E afirmava: “O sacerdote, portanto, não é simples sábio; não é também um simples santo; mas é um sábio-santo, que se serve da ciência e da santidade para se tornar apóstolo, isto é, para salvar as almas” (p. 2).

Nas memórias de Pe. Antonio, alguns momentos ficaram marcados, como a última visita de Alberione ao Brasil. “Conheci o Padre Alberione no Brasil, logo após a minha profissão dos votos religiosos paulinos, em 1963. Fui recebido por ele, que logo me dirigiu a pergunta: “Sei contento?”, “Estás contente?”. Respondi que estava muito contente e, logo lhe pedi que escrevesse algo no volume do Novo Testamento que lhe apresentei e que conservo até hoje. Pedi também que escrevesse uma mensagem na fotografia de minha família, e ele olhando a fotografia, disse-me sorrindo: “Mi fai lavorare troppo!”(Me fazes trabalhar demais). Mais tarde, de 1966 a 1970, vivi em Roma, na mesma comunidade onde morava o Pe. Alberione, tendo a possibilidade de participar de muitas de suas celebrações da missa, de meditações por ele propostas e visitá-lo em seu escritório. Encontrá-lo deixava a viva impressão que era um homem de Deus, sempre absorto na luz de Cristo”, afirma Pe. Antonio.

Aos 87 anos, Pe. Vittorio também revela sobre suas impressões ao conhecer o Fundador da Família Paulina: “Minha aventura com o padre Tiago Alberione começou em Roma no dia 15 de setembro de 1946, quando entrei na Pia Sociedade de São Paulo. Já se passaram 75 anos. O ‘Primeiro Mestre’ passava quase todos os dias pelos pátios dirigindo-se às Pias Discípulas para celebrar a missa. O seu passo era rápido e caminhava com a cabeça levemente inclinada para frente, homem autêntico, alegre, um sofredor silencioso e paciente. Tudo indicava um homem humilde e recolhido em seus pensamentos. Era claro na exposição de suas de suas ideias”, afirma.

Para Pe. Vittorio, o Bem-Aventurado Tiago Alberione deixa um grande exemplo e legado para todos. “São Paulo VI, e depois São João Paulo II, nos incentivaram a percorrer o caminho do fundador na fidelidade à Igreja e fidelidade ao carisma, como explica o papa Francisco: ‘A existência inteira do Bem-aventurado Padre Tiago Alberione foi repartir o pão da Palavra mediante as linguagens adequadas aos tempos’”, conclui padre Vittorio Saraceno.

Histórico

A história do grande visionário do Evangelho inicia-se, em São Lourenço, Diocese de Fossano, Piemonte, Itália, onde nasceu no dia 4 de abril de 1884. Desde seus primeiros passos, o “Primeiro Mestre” tinha seu caminho direcionado para as coisas de Deus. Sua biografia relata que certa vez, na primeira série do ensino primário, quando sua professora o indagou o que queria ser quando se tornasse adulto, o pequeno respondeu: Vou tornar-me padre! Os sinais de sua missão para a edificação do Reino de Deus já eram visíveis em sua infância.  Assim, sua família transferindo-se para a comuna de Cherasco, participa da paróquia de São Martin, diocese de Alba, onde encontra o pároco, Padre Montersino, que ajudou Tiago Alberione a discernir a sua vocação.

Com apenas 12 anos, ele entra no Seminário de Bra onde permanece por cerca de três anos. Em outubro de 1899 ingressa no Seminário de Alba. Poucos meses depois, na noite de passagem para o século 20, sentiu-se chamado a responder ao Mestre eucarístico que lhe dirigia o chamado: “Vinde a mim todos”. Nesta noite, do dia 31 de dezembro de 1900, ocorreu que ao rezar por quatro horas diante do Santíssimo, uma “luz especial” veio ao seu encontro, desprendendo-se da Hóstia e a partir daquele momento ele se sentiu comprometido a fazer alguma coisa para o Senhor e para as pessoas do novo século – surge assim, o compromisso de servir à Igreja, pregar o Evangelho a todos os povos, segundo o espírito do Apóstolo Paulo. Assim nasceu sua missão fundacional, que foi sendo discernida por mais de 10 anos. Foi ordenado sacerdote no dia 29 de junho 1907, aos 23 anos de idade.

No Seminário de Alba desempenhou o papel de Diretor Espiritual dos seminaristas e como professor de diversas disciplinas. Pe. Tiago Alberione dedicou-se a pregação, catequese e às conferências nas paróquias da diocese local.  Atento às necessidades dos tempos e ao chamado do Senhor Jesus, em 20 de agosto de 1914, o Padre Alberione deu início à “Família Paulina” com a fundação da Pia Sociedade de São Paulo.  A partir deste momento, os trabalhos deram frutos que perduram até os dias de hoje.  Atualmente, a Família Paulina é composta por 5 congregações religiosas, 3 institutos para leigos de vida secular consagrada, 1 instituto para casais e a Associação dos Cooperadores Paulinos.

Padre Alberione viveu 87 anos, após inúmeros trabalhos dedicados a difusão do Evangelho pela boa imprensa, faleceu no dia 26 de novembro de 1971. Em suas últimas horas, ele contou com a visita e a bênção do Papa São Paulo VI, que demonstrava sua constante admiração e veneração pelo Padre Alberione, conforme afirmou ao receber em audiência a Família Paulina no dia 28 de junho de 1969:  “A Pia Sociedade de São Paulo, com as diversas ramificações e com o volume da sua produção e habilidade da sua irradiação, tornou-se tão grande e vital que constitui um fato notável na vida da Igreja neste século.” Pe. Alberione foi beatificado pelo Papa João Paulo II em  27 de abril de 2003, tendo sua festa litúrgica celebrada em 26 de novembro. Que o exemplo do Bem-aventurado Pe. Tiago Alberione continue a guiar toda a Família Paulina na difusão do Evangelho de Cristo pelo mundo afora.