Rede social: um mundo de ilusões ou uma realidade? | Paulus Editora

Colunistas

Tecnologia e Pastoral

05/07/2021

Rede social: um mundo de ilusões ou uma realidade?

Por Ednoel Amorim

Indicar a um amigo:





Rede social. Estamos tão acostumados a falar ou a ouvir o termo que até parece que ele surgiu com as mídias digitais, como Facebook, Instagram, TikTok e outros. No entanto, aquilo que essas mídias representam apenas, reproduz o que tínhamos em nossa convivência comum e corrente. Rede social é toda relação que se estabelece entre iguais. As abelhas vivem em sociedade, possuem a sua rede. As formigas unem-se para cortar uma folha e levar alimento para sua colônia, possuem também a sua rede. Assim como esses muitos são os exemplos que podemos citar.

Efetivamente nós como seres humanos temos a nossa própria rede de relações. Temos a rede familiar, a rede do trabalho, a rede do bairro, da rua, da escola e tantas outras. Não podemos deixar que redes, muitas vezes, construídas por desconhecidos sejam mais importantes que a nossa rede familiar muito mais antiga que o Facebook, por exemplo.

O problema não está nas mídias digitais como o Instagram. O problema surge quando a rede presente na mídia digital transforma-se no centro de nossa vida a tal ponto que criamos duas vidas, uma da internet e outra que aparece em casa. Aqui uma pessoa fria e indiferente, lá uma pessoa atenciosa e dedicada.

O que pensar de alguém que tem mil curtidas em uma postagem no TikTok, mas não consegue dar um bom dia para alguém que mora sob o mesmo teto? Aos poucos e de modo sorrateiro, quem assim procede está criando uma vida paralela, o que muito em breve irá provocar um vazio que será difícil de preencher, pois nenhum milhão de curtidas é capaz de substituir um abraço sincero. 50 milhões de seguidores não são capazes de dar a felicidade de um café quentinho tomado com a pessoa que você ama. Pensemos sobre isto. Será que a pessoa que aparece no Instagram realmente existe? Vale realmente a pena trocar sua família por um mundo de ilusões? Deixar seus amigos de todos os dias de lado por causa de novos contatos adquiridos a quilômetros de distância?

É mídia social digital apenas, não é a razão da existência. A menos que alguém trabalhe com mídias, não existe um motivo plausível que justifique certas posturas que alguns de nós vêm assumindo e gerando prejuízos à amizade, à fraternidade, à vida familiar, e é claro, à vida pessoal.

nenhum comentário