Notícias

18/03/2019

Casa cheia no 3 º Simpósio PAULUS de Iniciação à vida cristã

Por Imprensa

Indicar a um amigo:





A PAULUS Editora, em parceria com a FAPCOM – Faculdade PAULUS de Comunicação, a serviço da evangelização, realizou, no último sábado (16), a 3ª edição do Simpósio PAULUS de Iniciação a Vida Cristã, com o tema Mistagogia: Ser cristão nos ambientes atuais. O encontro foi realizado no auditório da FAPCOM, na Vila Mariana, em São Paulo, e foi marcado por palestras, oficinas, música e celebração. O evento reuniu catequistas, agentes de pastorais, religiosos (as) e interessados.

De acordo com a organização, o objetivo do evento foi trazer aos participantes a compreensão de que, pela iniciação cristã é dada a possibilidade de uma experiência gradual no conhecimento, no amor e no seguimento de Jesus.

O paulino Deivid Rodrigo Tavares ssp, recepcionou os catequistas com música e muita interação. Na abertura do evento, Pe. Sílvio Ribas, coordenador do setor editorial da PAULUS, saudou os participantes lembrando que a catequese não é uma formação qualquer, pelo contrário, ela é de suma importância para a Iniciação à vida cristã, pois ela objetiva proporcionar através do processo de iniciação, progressividade e continuidade a uma adesão plena da pessoa a Jesus e à comunidade de fé.

Em seguida, com o tema: Catequese mistagógica, Padre Vanildo de Paiva da Arquidiocese de Pouso Alegre – MG deu início a programação do simpósio. Ele destacou a experiência da mistagogia, enfatizando o papel do catequista no processo de conduzir ou ser conduzido para o interior do mistério de Deus. O palestrante lembrou que a catequese mistagógica é aquela que acolhe o simbólico, o contemplativo, o celebrativo, como vias de encontro do catequizando com Deus.

( Pe. Vanildo de Paiva – Palestra “Catequese mistagógica”).

Já a segunda palestra trouxe o tema: Formação contínua dos (as) catequistas, ministrado pelo professor Altierez Sebastião dos Santos. Altierez salientou que, o mundo atual vive em constantes mudanças, na cultura, nos relacionamentos entre as pessoas e até mesmo nos valores. E, diante deste quadro desafiador, os catequistas são chamados a se reinventarem a cada nova experiência, buscando aprofundar a sua formação para que continuem sendo referências na comunidade e na evangelização.

(Palestra “Formação contínua dos (as) catequistas” conduzida pelo prof. Altierez Sebastião dos Santos).

Workshops:

Padre Humberto Robson de Carvalho, apresentou na oficina 1, “A espiritualidade do catequista”, os principais elementos que compõem a espiritualidade do catequista. Ele destacou dez pontos fundamentais para a formação espiritual do catequista, dentre eles: Jesus Cristo Mestre e Senhor; a Palavra de Deus; a Eucaristia; a oração; a cruz; a conversão; o testemunho; a alegria, a missão e a devoção a Maria. Segundo padre Humberto, todo o conteúdo utilizado teve por base a tradição da Igreja e os ensinamentos do Concílio Vaticano II.

A oficina 2, “Catequese e liturgia” ficou por conta do liturgista Padre Luiz Baronto, pároco da Catedral Metropolitana de São Paulo. Baronto resgatou a importância da relação entre liturgia e catequese. Para ele, a liturgia deve caminhar junto com a catequese. Segundo o padre, a liturgia tem uma linguagem valiosa, da “narrativa verbal e não verbal”, ela entra em contato com o mistério, por meio de uma linguagem que toca o ser humano em sua totalidade, a liturgia não é como nas redes sociais, um lugar de opiniões emotivas. “O papel da liturgia é manter o cristão fiel à imagem real de Cristo no meio do ambiente atual, nós os cristãos temos um só e único Senhor, que se expressa e se manifesta no ambiente da liturgia”, diz.

Já a oficina 3, com o tema “O canto e música na catequese”, o palestrante Deivid Rodrigo Tavares, ssp, buscou trabalhar os elementos importantes para o canto dentro catequese. Para ele, o canto deve ser trabalhado com a finalidade de cantar o que se celebra nos encontros catequéticos. Deivid ressalta que, o canto valoriza o trabalho do catequista. Para os catequistas que não gostam de cantar, ele lembrou que as pessoas da comunidade também podem auxiliar no encontro.

( Frei Guilherme Cesar da Silva, ssp, oficina “Anunciar Jesus na era digital”).

Na oficina 4, “Anunciar Jesus na era digital”, Frei Guilherme, ssp, apresentou dois temas aos presentes: a Coleção Youcat, de maneira  particular o último lançamento da PAULUS “Youcat para crianças”. No encontro, Guilherme enfatizou como o material auxilia na formação não apenas das crianças, mas das famílias e em especial dos pais. Ele também ensinou como utilizar as redes sociais para a catequese e nos momentos posteriores aos encontros catequéticos.

Na oficina 5, “Metodologia para a catequese com adultos” ministrada pelo Irmão Israel José Nery, catequeta de grande importância para a Igreja do Brasil, o palestrante destacou a importância de evangelizar os adultos, sobretudo observando a questão metodológica.

(Irmão Israel José Nery – oficina “Metodologia para a catequese com adultos”).

Ele apresentou a parte metodológica, começando pela teoria. Segundo Irmão Israel, a Igreja é doutora em documentos, mas na prática os catequistas precisam avançar mais e ficar atentos ao que a Igreja pede. Para ele, há muito tempo a Igreja sinaliza que a primeira e principal fonte da catequese deve ser realizada com os adultos. Nery recordou a importância e urgência da formação com adultos. O teólogo enfatizou que as crianças dependem dos pais, avós, tios e dos responsáveis para leva-las à Igreja: “Temos que trabalhar a questão da metodologia, o melhor processo que existe é a relação, criem relações”, sugere.

A oficina 6, “A palavra de Deus na Catequese” foi guiada pelo Pe. Ramires Henrique de Andrade, biblista e também professor cursos da FAPCOM. O conteúdo tratou sobre a centralidade da Palavra de Deus na Catequese. Ele afirma que é dela que emana o sentido e motivação para todo trabalho. Ramires apresentou ao longo da história, os métodos de interpretação a Palavra e ensinou como aplicá-la nos dias atuais.

Na oficina 7, “Roteiros de retiros para a formação de catequistas”, Pe. Vanildo de Paiva realizou uma experiência na celebração, renovando a vocação a partir do chamado dos primeiros discípulos. Com algumas vivências e dinâmicas apresentou temas como possíveis retiros ou formações espirituais dos catequistas a partir do livro “O processo de formação da identidade cristã”, publicado pela PAULUS.

A oficina 8, “Catequese e linguagem de jovens e adolescentes” foi conduzida pelo professor Altierez Sebastião dos Santos. Para lidar com tantos desafios de evangelizar esse público, o palestrante apresentou temas  de comunicação catequética, imaginário, diálogo com os jovens e adolescentes.

(Prof. Altierez Sebastião na oficina “Catequese e linguagem de jovens e adolescentes”).

Na oficina 9, “Iniciação cristã com adultos, de inspiração catecumenal”, o encontro trabalhou o texto de Felipe e do Eunuco, presente no livro dos Atos dos Apóstolos, capítulo  8. A partir da narração bíblica, Marlene refletiu sobre os “Felipes” de hoje, e os “Eunucos presentes nas comunidades. Ela lembrou o que a Igreja oferece atualmente para a catequese com adultos de inspiração catecumenal. A catequista enfatizou a alegria de evangelizar e apresentou como exemplo de metodologia e vivência a proposta do projeto Viver em Cristo, da Arquidiocese de Pouso Alegre, publicado pela PAULUS.

Voz dos participantes

( Catequistas da Paróquia Natividade do Senhor, setor Jaçanã – SP).

Para a catequista Viviane Artea Bertuci, da Paróquia São João Batista em Jacareí – SP, o Simpósio foi gratificante, “A primeira palestra do evento foi muito interessante, essa luz que nos foi apresentada, sobre alguns pontos da catequese Mistagógica, nós já conhecíamos, porém, ela aqueceu ainda mais, nos fortalecendo a caminhar e a levar a todos os que o Senhor nos confiou”.

Na opinião do catequista Marcelo Bertuci, também da São João Batista, o momento foi maravilhoso e edificante. “É bom saber que estamos no caminho certo, ao mesmo tempo, vejo que há muito a aprender, fico feliz em ver tanta gente unida em Cristo na mesma missão e agradeço a oportunidade de poder interagir com os outros catequistas”, diz.

“Gostei muito da palestra Catequese Mistagógica, o palestrante enfatizou o que sentimos em relação à vivência da fé, acredito que momentos como esses são importantes, eu venho de uma família que minha mãe já foi catequista há 30 anos na Igreja e, já tenho um conhecimento maior, mas existem pessoas que estão começando e precisam de formações como essas para inovar os seus encontros. Penso que as crianças e jovens precisam de uma catequese diferente, motivadora e mais aplicada”, afirma Luciana de Almeida Miranda, catequista da diocese de Piracicaba.

“Estou me sentindo maravilhada com o Simpósio, comentei com o nosso grupo que estou triste de não ter participado das primeiras edições. Não tinha conhecimento, estamos compartilhando nas redes sociais, coisas boas devem ser compartilhadas, quero que todos os catequistas saibam desse encontro maravilhoso. Parabéns para a PAULUS e toda a organização, a nossa Igreja é linda e precisamos de mais momentos como esses”, relata  Leila Capana – Catequista da Paróquia Natividade do Senhor, setor Jaçanã.

Para Lucas Rafael Costa de Borges, assistente pastoral do colégio São Francisco Xavier do Ipiranga, o encontro segue com a proposta da Igreja, que está resgatando as suas raízes, “Está sendo um momento de muito aprendizado, as palestras são interativas e dinâmicas”, diz.