Colunistas

Família

09/05/2018

Viver a Família Como Lugar de Missão dos Leigos e Leigas Cristãos

Por Suzana Coutinho

Indicar a um amigo:





De novembro de 2017 a novembro de 2018, a Igreja no Brasil celebra o Ano do Laicato, antes, em 2016, a CNBB aprovou o Documento 105, “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade: sal da terra e luz do mundo”. Como compreender o papel da família no ministério laical da Igreja?

A Igreja vem afirmando a vivência familiar como um ministério, um serviço dos cristãos para a vida eclesial e também social. Em vários documentos, salienta a importância da geração e cuidado com a vida e a educação da fé como tarefas primordiais da família. Insiste que a família cristã deve ter consciência e ser ativa no serviço necessário à missão da Igreja.

Eis um grande desafio: como ajudar as famílias a assumirem, com alegria, o anúncio do Evangelho e a busca da santificação de suas vidas no mundo de hoje?

Quantas situações são vivenciadas, favorecendo um afastamento cada vez maior da família desse nobre e necessário ministério: as jornadas cada vez maiores de trabalho dos adultos, o isolamento dos indivíduos, embora vivendo “em família”, o despreparo e a desmotivação de muitos pais e mães para educarem seus filhos tanto na fé como na vida social… Muitas famílias estão terceirizando a educação de seus filhos às escolas e aos catequistas, mesmo naqueles assuntos de competência explícita dos pais…

E alguns desses pais e mães se encontram nas comunidades cristãs, como agentes de pastoral e integrantes de vários movimentos eclesiais. Mas, não conseguem, ou não entendem como realizar sua missão nas próprias famílias. Talvez seja necessário reforçar o que o Documento 105 esclarece (n. 178): também é missão dos leigos a atuação nas atividades rotineiras da casa, no trabalho e no lazer.

A família deveria ser o primeiro chão missionário dos cristãos leigos e leigas, nas diversas fases e papéis que ocupam nas relações familiares. Esse é o campo de missão mais básico e mais fundamental. Ao anunciar a boa nova do Reino de Deus, os cristãos leigos e leigas santificam-se uns aos outros, ajudando a que todos possam fazer seu encontro pessoal com Jesus e segui-lo, como discípulos missionários. Os bispos motivam os leigos a realizarem esta tarefa primordial: “A sociedade humana em construção e a Igreja em missão contam com cristãos convictos da própria responsabilidade, dispostos a acolher desafios, alegres em abrir caminhos novos na construção do Reino do Senhor Jesus, reino da verdade e da vida, reino de justiça, do amor e de paz” (n. 277).

nenhum comentário