Colunistas

Fé e Educação

08/11/2017

Onde Mora Deus?

Por Rogério Darabas

Indicar a um amigo:





Como falar de Deus? O que falar? Como despertar o desejo sobre assuntos relacionados às questões espirituais, fé, vida, morte diante das novidades e atrativos da modernidade?

Apresentar Deus às crianças e adolescentes é algo fascinante. Cada encontro, uma bela e agradável surpresa. Eles estão sempre ávidos por conhecimento. Ao mesmo tempo são singelos mestres. Momento único de partilha: aprender ensinando. Constantemente nos deparamos com inquietações carregadas de mistério.

Manuela me abordou logo no início da aula. A garota com seus onze anos me acolheu com olhar expressivo e sedento de curiosidade: “Professor, onde mora Deus”? Olhei-a com admiração. A pergunta da pequena aprendiz fez-me silenciar.

Lembrei do encontro de dois dos discípulos de João Batista com Jesus:  “Rabi, onde moras?” Jesus: Venham, e vocês verão. (Cf. Jo 1, 38-39). É preciso ir ao encontro. Ver com os próprios olhos. Sentir profundamente. Fazer a experiência de Deus e com Deus. Um instigante desafio para a educação em tempos modernos.

Falar de Deus e sobre as infinitas reflexões que surgem a partir de tal temática, nas aulas de Ensino Religioso, é possibilitar aos educandos a oportunidade de conhecimento, amadurecimento e discernimento ao que se refere ao universo religioso. As instituições de ensino, principalmente da rede particular confessional, têm um espaço privilegiado pelo fato de oferecerem aulas destinadas aos assuntos de ordem religiosa e espiritual.

Do questionamento da pequena Manuela, a aula foi sendo construída com outras perguntas e respostas dos seus colegas. Cada um trazia a sua experiência de Deus a partir da família ou da religião que segue. E assim íamos construindo uma morada para Deus. Trechos do capítulo 1 do livro do Gênesis foram significativos para melhor compreensão. “E Deus criou o homem à sua imagem e semelhança; à imagem de Deus, ele o criou; e os criou homem e mulher. E Deus os abençoou”. (Gn 1, 27-28 a)

Aos poucos, alguns dos alunos foram compreendendo que desde a criação, passando pelos profetas e chegando na vida e missão de Jesus e os mistérios da morte e ressurreição, Deus habita um lugar privilegiado em cada ser humano.  Foram citadas algumas religiões cristãs e a maneira como elas procuram apresentar Deus. Foi o momento que Cadu resolveu interferir: “Mas em qual vou acreditar, já que são tantas”?

Os questionamentos dos pequenos pensadores nos instigam, provocam. Acreditar em Deus nesta idade requer algo mais concreto. E eles estão buscando. Se as respostas ficaram sem palavras, isso já não provoca grandes angústias. Entendem que teremos tempo e oportunidade para encontrar algumas respostas.

“Para os cristãos, conhecer Deus também significa conhecer uma pessoa: se você quiser conhecer mais sobre Ele, aprenda mais sobre Jesus. Uma das razões porque Deus se tornou humano foi nos mostrar mais claramente como Ele era. Jesus literalmente corporifica Deus, logo, qualquer coisa que se puder dizer sobre Jesus, se pode dizer sobre Deus’. (James Martim)

E no evangelho de São João, Jesus afirma: “O Pai e eu somos um.” (Jo 10, 30). O apóstolo Filipe pede: “Senhor, mostra-nos o Pai e isso basta para nós”. Jesus deseja que eles façam a experiência do encontro, vivenciem Deus plenamente. “Se alguém me ama, guarda a minha palavra, e meu Pai o amará. Eu e meu Pai viremos e faremos nele a nossa morada”. (Jo 14, 23)

Segue uma breve parábola. Certo dia, Deus sentiu-se cansado das pessoas, pois elas estavam sempre pedindo coisas. Então disse: “Vou embora e me esconder”. Reuniu seus conselheiros e cada um sugeriu um lugar para Deus se esconder: “Esconda-se na montanha mais alta”. Outro disse: “No fundo do mar, é um ótimo lugar”. Deus ouviu a todos e perguntou ao seu anjo mais inteligente que lhe sugeriu: “Esconda-se no coração das pessoas”.

Foram os sublimes e profundos encontros entre Jesus e os seus seguidores para que cada um realizasse a experiência de encontrar Deus. Hoje e sempre, serão necessários encontros e experiências humanas, ora  simples ou arrojadas para descobrir a morada de Deus. Cada um fará sua caminhada. Aqueles que se arriscarem O encontraram.

2 comentários

10/11/2017

Mirlene Moreira Melo Canestraro

Rogério, obrigada pela deliciosa reflexão sobre um tema tão significativo, onde nos expõe a grandeza dos sentimentos de nossas crianças ao se fazerem ouvintes sujeitos, numa busca por perguntas e respostas sobre os caminhos que nos levam à Deus! Abraços

10/11/2017

Sergio

Onde Mora Deus? Precisa morar nos corações de nossas crianças e jovens. Especialmente, no meio educacional. Para que com amor, conheçam os planos e caminhos do Senhor. E assim, serem protegidos da doutrinação ideológica de destruição das famílias pela ideologia de gênero, faminismo, gayzismo, marxismo...