Colunistas

Bíblia

21/01/2019

Livros Sapienciais 9. Salmos-1

Por Nilo Luza

Indicar a um amigo:





O livro dos Salmos é formado por 150 orações e hinos que o povo de Israel rezava ou cantava. Os salmos são uma síntese da espiritualidade do povo de Deus. Esses salmos ou orações englobam todas as situações de vida do povo. Temos reflexões sapienciais, súplicas, louvores, orações que falam de alegria, de doença, de cura, de entronização do rei…

O livro dos Salmos talvez seja o livro mais rezado também pelo povo de hoje. A Igreja católica adotou esses salmos como sua oração oficial, na assim chamado Liturgia das Horas, antigamente chamado Breviário. Como conhecemos pelos evangelhos, o próprio Jesus teria rezado e citado muitas vezes alguns salmos. Toda atividade cotidiana do Mestre está ligada à oração. Provavelmente participou de alguns momentos celebrativos nas sinagogas como bom judeu que era.

A formação do livro dos Salmos durou séculos. Temos orações do tempo de Davi (século 9º AC) até a Revolta dos Macabeus (por volta de 150 AC). São, portanto, orações colhidas ao longo desses séculos. Nem sempre é possível saber a época e o local em que cada salmo foi escrito. Grande parte do Saltério é do período pós-exílio babilônico.

Como não é possível determinar a época e o local da formação de cada salmo, assim nem sempre é possível identificar seu autor. Muitos salmos são atribuídos a Davi, mas nem sempre ele é de fato o autor. Davi é reconhecido como “patrono dos salmos”. Assim como Salomão é identificado como “patrono da sabedoria” e dos livros sapienciais. Outros salmos são atribuídos a outros autores, tais como Asaf, filhos de Coré, Moisés, Salomão.

A exemplo do Pentateuco, normalmente o Saltério (os cento e cinquenta salmos) é dividido em cinco partes: salmos 1-41; salmos 42-72; salmos 73-89; salmos 90-106; salmos 107-150. No final do salmo que conclui o bloco, encontramos um “refrão” mais ou menos parecido: “Bendito seja Javé, Deus de Israel, desde agora e para sempre. Amém, amém”. Assim o Saltério é como que a “torá de Davi”.

 “Nos salmos transparece o rosto de Deus, deixando-nos entrever a experiência que o povo teve de Deus na longa caminhada histórica, e também nas pequenas crises da caminhada cotidiana. Dessa forma, os salmos nos revelam o amor de Deus para com o povo e o amor do povo para com Deus” (Bíblia Pastoral). Por isso, é importante perceber os traços do rosto de Deus em cada salmo que se reza.

nenhum comentário