Colunistas

Bíblia

08/11/2017

Livros Históricos 11. Judite

Por Nilo Luza

Indicar a um amigo:





O livro de Judite é mais uma novelinha interessante que se encontra em nossas Bíblias. Foi escrito por volta de 160 AC, na Palestina, durante a guerra dos Macabeus. Tem como objetivo encorajar os judeus piedosos a permanecerem fiéis à lei e aos costumes de Israel. O autor ou autores, provavelmente, pertencem ao mesmo grupo que produziram os livros de Daniel, 1 Macabeus e a versão grega de Ester.

A ação da história se dá na cidade samaritana de Betúlia (casa de Deus), que era dominada pelo exército de Holofernes. Os judeus estão sitiados nessa cidade, sem poder receber alimentos e com água cortada. Surge Judite, jovem viúva bonita e esperta, que consegue seduzir o comandante do exército inimigo. Este a convida para um banquete, no qual ele se embriaga e Judite aproveita a situação e lhe corta a cabeça.

Com esse relato, percebemos que a comunidade judaica, para sobreviver aos perigos dos inimigos mais poderosos, usa a astúcia e a inteligência, pois não dispõe de exército militar para se defender. Judite, fiel à lei e temente a Deus, simboliza a luta em defesa da tradição religiosa do judaísmo. Deus age na história por meio de pessoas que assumem a luta pela justiça e pela libertação.

O livro de Judite recupera personagens e situações do passado para falar do presente. Nabucodonosor é símbolo de Antíoco 4º Epífanes e figura do império dominante. Holofernes simboliza o poder militar dos Selêucidas. Cortar a cabeça do opressor significa cortar a “ideologia do império e seus mecanismos de opressão”.

A protagonista central da narrativa é uma mulher, Judite, isto é, “mulher judia”. Isso pode demonstrar o papel importante das mulheres nesses grupos de resistência que se organizam a partir “das casas”. Esses grupos se organizavam para resistir contra a imposição da cultura helênica durante o domínio grego.

O livro exalta a figura da mulher enquanto desempenha um papel público, tentando transformar relações discriminatórias no que diz respeito ao gênero. Mas, no final da narrativa, uma vez cumprida a missão, a protagonista volta à “esfera privada”, ou seja, voltando ao seu papel de mulher, no caso mulher viúva.

O livro de Judite pode ser dividido em duas partes: A primeira parte (1-7) descreve as ações do exército de Nabucodonosor que conquista várias regiões, chegando até Betúlia. A segunda parte (8-16) apresenta a ação de Judite, que, com sua esperteza e esperteza, consegue dominar o inimigo, Holofernes, e o decapita. Com a vitória, o povo comemora e reconhece a ação de Deus.

nenhum comentário